Marabá
30°C
Broken clouds

Voluntários organizam buscas pela criança Isabela Amaral em Marabá

A pequena vítima foi vista, pela última vez, no domingo (8), Dia das Mães. Desde a quarta-feira (11), a Polícia Civil realiza diligências para encontrar a menina, mas não obteve sucesso.
Isabella Amaral - Crédito: Redes sociais

MÃE MORTA A MARRETADAS – Um grupo de voluntários se mobiliza, nas redes sociais, para ajudar a força tarefa que procura a menina Isabella Lima Mendes Amaral, 10 anos, filha de Gleiciane Lima Rabelo Amaral, morta a marretadas pelo marido Eliezer Almeida Amaral, 30 anos, na casa do casal, localizada na Folha 16, em Marabá, no sudeste do Pará.

De acordo com o Superintendente Regional de Polícia Civil, Delegado Vinícius Cardoso, a criança foi vista pela última vez no domingo (8), Dia das Mães. O “Monstro de Marabá”, como Eliezer Amaral está sendo chamado nas redes sociais, se hospedou em um hotel da cidade, sozinho, na segunda-feira (9), mas a Polícia Civil não encontrou nenhum vestígio da menina.

No início da tarde desta quarta-feira (11), o técnico do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PA) se jogou sob as rodas de uma carreta, conduzida pelo motorista André Luiz Zanin, na rotatória do Km 6, e morreu esmagado. O corpo dele foi removido por volta de 16h e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Marabá para realização de necropsia.

Depois da notícia da morte Gleiciane Amaral e Eliezer Amaral, notou-se o desaparecimento da garotinha. Desde esse momento, segundo o Delegado Vinícius Cardoso, já foram realizadas diversas diligências, porém a criança não foi localizada. “A gente tinha a esperança de que o suicida tivesse deixado a menina com algum parente, amigo ou colega de escola, mas ele sumiu com a Isabella Amaral”, explicou Vinícius Cardoso, na noite desta quinta-feira (12).

Eliezer Amaral destruiu sua família – Crédito: Redes sociais

O Portal Debate conversou, em reservado, com especialistas no assunto, e a maioria das pessoas ouvidas afirmou que a cada dia que passa, a chance de encontrar a criança com vida diminui bastante. “Ela tem 10 anos e sabe se comunicar. Se estivesse viva, Isabella Amaral já teria encontrado uma maneira de se comunicar com uma pessoa da família, informando seu paradeiro”, relataram alguns especialistas.

O grupo de voluntários está sendo organizado pelos amigos “JC Segurança”, “Nelmo” (vigilante) e “Augusto” (Guarda Municipal de Marabá). O ponto de encontro dos voluntários será na rotatória do Km 6, a partir 6h30, deste sábado (14), onde serão formados os grupos que irão percorrer as matas e estradas próximas a Marabá à procura da criança, caso a pequena vítima não seja encontrada nesta sexta-feira (13).

O Pix 94991041788 (João Carlos Sousa da Silva) foi disponibilizado para doações que irão custear as despesas com água e alimentação para os voluntários. O depósito também poderá ser feito na Agência 0565-7, Conta Corrente 67248-3, Banco do Brasil, em nome de João Carlos Sousa da Silva.

A morte a marretadas de Gleiciane Amaral, o suicídio do “Monstro de Marabá” e o desaparecimento da menina Isabella Amaral ganhou repercussão nacional. “O trabalho dos voluntários tem como objetivo ajudar nas buscas realizadas pelos órgãos de segurança, pois a gente nutre a esperança de localizar a menina com vida. Só queremos ajudar”, argumenta “JC Segurança”.

O pai biológico da menina, Ademar Souza Mendes, que reside em Parauapebas, prestou depoimento na Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (DEACA) de Marabá e pede ajuda à população para encontrar a filha. (Pedro Souza/Portal Debate)

Suicídio de Eliezer Amaral – Crédito: Reprodução

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!