Marabá
29°C
Clear sky

Tiros, morte e terror em noite de Parauapebas

Jovem foi executado dentro de lanche.
Jovem Alderi foi executado a tiros no interior do trailer onde trabalhava como "chapeiro".
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A Polícia Civil ficou de investigar a execução do “chapeiro” Alderi Ricardo Alves Ferreira, 20 anos, nascido em Santa Inês (MA). Ele foi executado, com cerca de 10 tiros de pistola 380, na madrugada desta quarta-feira (26), por volta das 0h50, em plena Praça de Eventos, no bairro Cidade Nova, em Parauapebas, no sudeste do Pará.

Alderi estava trabalhando na chapa de um trailer de lanches quando foi surpreendido por dois homens que chegaram ao local sobre uma motocicleta. O que estava na garupa e empunhado uma pistola se aproximou do trailer e executou a vítima ali mesmo, dentro do local de trabalho do “chapeiro”. A polícia contabilizou na cena do crime cerca de 10 cápsulas deflagradas. Ricardo, por sua vez, tombou morto logo após a investida criminosa.

Quando tentavam fugir do local do crime, os bandidos se depararam com um Guarda Municipal. Houve uma troca de tiros entre o agente municipal e os elementos, mas ninguém saiu ferido.

Câmeras de segurança ainda flagraram os bandidos durante a escapada. As imagens, frutos de flagras das câmeras de alta resolução instaladas pela gestão municipal no ambiente, foram cedidas a polícia e a imprensa.

A Praça de Eventos é um ambiente bastante frequentado por jovens e até mesmo famílias. Durante a noite ou nas madrugas, os jovens que saem de algumas baladas costumam parar no local para fazer aquela “boquinha”. O ato criminoso espantou muitos clientes que estavam na praça, mas o brilho do local e das tradicionais barraquinhas de lanches não pode ser apagado por uma situação isolada e rara.

Vítima em foto de identidade.

Suposta motivação 

Em conversa informal com o Papo Carajás, um policial miliar informou que recentemente um cidadão teria sido demitido do lanche em questão.

O demitido discutiu com outros funcionários e chegou a acusá-los de terem cooperado para a baixa, inclusive, prometendo vingança para eles.

A suspeita do homicídio recai sobre o rapaz demitido. Acredita-se que ele tenha retornado ao local para se vingar de Alderi e um outro funcionário da barraca de lanches, que ao ver a execução do colega, fugiu correndo do local. A polícia segue apurando o caso. O Papo vai atualizar a matéria de acordo com o desenrolar da apuração policial.

Imagem dos assassinos em fuga.

Fonte: Portal Papo Carajás

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!