Marabá
29°C
Overcast clouds

Sheik que invadiu shopping e ameaçou clientes é liberado após não conseguir pagar fiança

O juízo da 1ª Vara de Inquéritos e Medidas Cautelares de Belém determinou a instauração de incidente de insanidade mental, declarou encerrada sua competência e providenciou a distribuição do processo para análise dos pedidos de dispensa de pagamento de fiança
O empresário Fernando Barros do Carmo | Foto: Reprodução/Redes Sociais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

MARABÁ, SUDESTE DO PARÁ – Fernando Barros do Carmo, empresário do setor automobilístico em Marabá, mais conhecido como “Sheik”, foi liberado pela Justiça nesta quinta-feira (22) após não conseguir pagar fiança de R$ 200 mil que havia sido arbitrada a ele, que invadiu um shopping na capital do estado, Belém, e ameaçou clientes com um facão. O caso foi registrado em maio deste ano.

O juízo da 1ª Vara de Inquéritos e Medidas Cautelares de Belém determinou a instauração de incidente de insanidade mental, declarou encerrada sua competência e providenciou a distribuição do processo para análise dos pedidos de dispensa de pagamento de fiança. “Até o presente momento, o flagrado não pagou o valor da fiança e está preso desde o dia 28/05/2021. Essa situação, por si mesma, já denota ser impossível a ele prestar fiança; se melhores condições financeiras tivesse, certamente já teria pago a fiança arbitrada”, escreveu o juiz Murilo Lemos Simão no alvará de soltura.

O Ministério Público, que é o órgão acusador, não encontrou elementos suficientes para denunciar o investigado e, por isso, pediu o retorno dos autos à delegacia, a fim de serem realizadas diligências para elucidação do caso.

Apesar de ter sido liberado sem precisar pagar fiança, Sheik deve cumprir medidas cautelares, como comparecer a todos os atos processuais a que for intimado; informar, no prazo de três dias após sua soltura, o endereço para receber as intimações, devendo comunicar qualquer mudança; proibição de manter contato com as vítimas, devendo delas guardar distância mínima de 100 metros; e proibição de entrar no estabelecimento em que ocorreram os fatos, qual seja, Shopping Boulevard.

Caso descumpra alguma dessas condicionantes, Sheik poderá ter a prisão preventiva decretada. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!