Marabá
35°C
Clear sky

Senado adia votação de projeto que impede a suspensão de aulas presenciais

Data de sessão que discutirá retorno seguro a aulas presenciais ainda será definida Waldemir Barreto/Agência Senado Fonte: Agência Senado
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Senado adiou a votação do projeto que impede a suspensão de aulas presenciais em escolas e universidades durante a pandemia de covid-19. O Projeto de Lei (PL) 5.595/2020 seria analisado na sessão remota desta quinta-feira (6), mas acabou sendo retirado de pauta diante da aprovação de requerimento do senador Jean Paul Prates (PT-RN) para realização de audiência pública sobre a matéria.

O objetivo é debater com os especialistas uma estratégia nacional para garantir um retorno seguro às aulas na educação básica e superior.

A audiência pública será realizada em data a ser definida, com a participação de representantes dos ministérios da Educação e da Saúde, Fiocruz, Butantan, estudantes e outras instituições. Após o debate, será avaliada a reinclusão do projeto na pauta de votações, disse o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, após a aprovação do requerimento de Jean Paul Prates.

No começo da sessão, o relator do projeto, senador Marcos do Val (Podemos-ES), adiantou que concordava com a realização de sessão de debate sobre o projeto. E encaminhou requerimento de sua autoria e do senador Weverton (PDT-MA), que acrescentou nomes de especialistas que participarão da audiência pública.

Da deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF), o PL 5.595/2020 inclui o ensino entre os serviços essenciais, de suspensão vedada durante a pandemia. A exceção ficaria por conta de comprovação cientifica e técnica da necessidade de interrupção das atividades.

O projeto tem dividido a opinião de senadores. Na semana passada, houve uma tentativa de votação, mas o projeto foi retirado de pauta, em meio a divergências. Mais de 30 emendas já foram apresentadas, mas o relator, Marcos do Val, acatou apenas dois ajustes na redação.

Para o relator, a proposição “é um pontapé inicial para uma reabertura gradual e responsável, que dependerá de posteriores planejamentos cuidadosos, articulados entre os entes e frutos de diálogos entre gestores, profissionais da educação, pais e estudantes”.

Fonte: Agência Senado

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!