Rede pede impeachment de ministro por crime de responsabilidade

O ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles (Ueslei Marcelino/Reuters)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A bancada da Rede Sustentabilidade protocolou nesta quinta-feira, 22, um pedido de impeachment do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles no Supremo Tribunal Federal (STF) por crime de responsabilidade. A iniciativa partiu do senador Fabiano Contarato (Rede-ES), presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado. “Defender o meio ambiente é defender as vidas humanas que ainda virão”, disse.

Salles é acusado pelo partido de violar a Constituição ao alterar a governança do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e de negligenciar a situação ambiental do país. Outro ato que foi ressaltado no pedido é a perseguição a servidores públicos, como a exoneração do cargo de chefia que ocupava no Ibama o fiscal José Olímpio Augusto Morelli, que multou o presidente Jair Bolsonaro (PSL) em 2012.

O ministro ainda foi acusado de omissão diante do aumento das queimadas na Amazônia. De acordo com o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), até 14 de agosto foram registrados 32.728 focos de calor, número cerca de 60% superior à média dos três anos anteriores. O pedido também é assinado por Randolfe Rodrigue (Rede-AP), líder da oposição, e pela deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR).

Desde 1º de janeiro até esta terça-feira, 20, foram contabilizados 74.155 focos, alta de 84% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que contabiliza esses dados desde 2013. Um pouco mais da metade (52,6%) desses focos ocorre na Amazônia, com Mato Grosso na liderança. As queimadas já superam em 8% o recorde de 2016, um ano de extrema seca, que tinha registrado 68.484 focos no mesmo intervalo de tempo.

Veja

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!