As perguntas elaboradas por um professor de Língua Portuguesa para alunos do 9º ano de uma das unidades da Escola Adventista, em Belém, causou revolta nas redes sociais na noite desta segunda-feira (18).

Uma publicação feita em um perfil no Facebook denuncia a conduta do docente, que levanta questionamentos sobre a homossexualidade de forma duvidosa e, aparentemente, sem qualquer relação com a disciplina ministrada em sala de aula.

“A pessoa nasce ou se torna homossexual?”, “homossexualismo tem perdão?”, “como evitar o homossexualismo?” são algumas das abordagens feitas pelo mestre no questionário que, segundo o denunciante, será contado como ponto para a prova. “Esse questionário é a prova e era necessário adquirir um livro que custa entre 36 a 46 reais. E, quem não comprasse, que desse um jeito de ir atrás”, dispara o denunciante na publicação.

No livro, é possível ler conteúdos com respostas mais elaboradas. Por exemplo, na pergunta “existe cura [para a homossexualidade]?”, a resposta é que existe, mas que se trata de uma “mudança demorada e difícil”. No documento, questiona-se também quais são as causas do homossexualismo. As respostas são as mais diversas possíveis, justificando que o filho “vive cercado de mulheres” ou por ser “criado num lar onde o pai é fraco ou ausente”.

DOL