Marabá
25°C
Scattered clouds

Policiais tentam prender chefe de facção acusado de ordenar crimes no Pará

Mais de 500 agentes estão empregados na operação Coalizão pelo Bem, que conta com a Polícia Civil do Pará
Operação conjunta mira traficantes de outros estados que estão refugiados no Rio | Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

As polícias Civil e Militar do Rio, em conjunto com as polícias civis do Pará e do Amazonas, realizam uma megaoperação, na manhã desta sexta-feira (18), para cumprir mandados de prisão contra líderes de organizações criminosas de outros estados que se instalaram em comunidades do Rio.

Os alvos, segundo investigações, estão refugiados na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, na Zona Norte da cidade. Um deles é o traficante “Mano Kaio”, um dos chefes do tráfico do Comando Vermelho, investigado por orquestrar uma série de ataques em Manaus, no Amazonas.

Também são cumpridos mandados de prisão nos estados do Amazonas e São Paulo. Até a última atualização, 14 suspeitos tinham sido presos, sete deles no Rio e outros sete em Manaus e São Paulo.

No Rio, a polícia prendeu um criminoso conhecido pelo apelido de “Marcelão”, apontado como chefe do tráfico no Pará. Ainda na capital fluminense, três suspeitos foram baleados em confronto na Vila Cruzeiro. Todos foram socorridos e levados para o Hospital Getúlio Vargas. Segundo a Secretaria de Estadual de Saúde, dois deles não resistiram e acabaram morrendo. O terceiro está em atendimento e foi encaminhado ao centro cirúrgico.

Conforme O DIA noticiou nesta quinta-feira, com exclusividade, cerca de 100 traficantes de outros estados passaram a se esconder no Rio, incluindo lideranças. A polícia identificou que as ordens para os ataques no Amazonas partiram de favelas cariocas.

Policiais realizam megaoperação no Complexo da Penha - LUCIANO BELFORD/AGÊNCIA O DIA
Policiais realizam megaoperação no Complexo da Penha LUCIANO BELFORD/AGÊNCIA O DIA

A operação Coalizão pelo Bem conta com a participação de mais de 500 agentes. O Comando de Operações Especiais (COE), da Polícia Militar, também está participando da operação.

Nas redes sociais, moradores relatam intenso tiroteio na Vila Cruzeiro. Muitos alegam que não estão conseguindo sair de casa para trabalhar. Para despistar os policiais, traficantes atearam fogo em carros de moradores e em barricadas. Pelo menos três helicópteros da Polícia Civil realizam sobrevoo na região. (O Dia)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!