Marabá
26°C
Overcast clouds

PM nega ter sido preso com armas, munição e ‘miguelitos’ no sul do Pará

Sd Alessandro Bento é lotado na Força Tática - Crédito: Arquivo pessoal
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Portal Debate Carajás publicou a matéria Policial é preso com armas, munição e ‘miguelitos’ dentro de carro no sul do Pará”, no dia 18/4/2021, com base nas informações fornecidas pelo Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV), na cidade de Xinguara, no sul do Pará

O relato da Polícia Rodoviária afirmou que no final da manhã do dia 17/4/2021, por volta de 11h50, durante uma abordagem de rotina, no km 09, da PA-279, próximo à Vila Cachoerinha, sentido à cidade de Água azul do Norte, policiais do BPRV pararam um automóvel Gol, branco, placa QDV 0576, dirigido pelo policial militar do estado de Mato Grosso (MT), identificado como soldado Alessandro Moreira Bento, e encontraram diversas armas e vasta munição no interior do automóvel.

No entanto, no final da tarde de quarta-feira (21), ao Debate Carajás, o SD/PM Alessandro Bento, lotado no Grupo de Policiamento Especializado de Mato Grosso (Força Tática), afirmou que a narrativa constante na matéria é bem diferente do acontecido na abordagem policial. O militar afirmou que todas as armas são legalizadas, estão registradas em seu nome e foram devolvidas após checagem de registro.

O militar disse que se encontra afastado do trabalho, há três meses, acompanhando o tratamento de sua mãe, acometida de graves enfermidades no coração, na cidade de Ourilândia do Norte, sul do Pará. Alessandro asseverou que a família reside em Ourilândia desde o ano de 1989, onde os integrantes são bastante conhecidos, e que jamais colocaria sua profissão em risco na busca de algo ilícito.

Policial é preso com armas, munição e ‘miguelitos’ dentro de carro no sul do Pará
Armas e munição apresentadas na delegacia de Polícia Civil de Xinguara – Crédito: Reprodução

O soldado protestou contra a divulgação maldosa da notícia pelos militares do BPRV, pois, segundo ele, ao ser apresentado na Delegacia de Polícia Civil de Xinguara, foi realizada a averiguação de sua situação pessoal e do registro das armas. Como nada de irregular foi encontrado, ele foi liberado e seguiu viagem com o veículo, de propriedade de sua mãe, levando as armas e munições. O PM informou que os ‘miguelitos’ fazem parte de seu material de trabalho utilizado durante as operações.

No entanto, ao chegar ao estado de Mato Grosso, ele tomou um susto, quando se deparou com a notícia estampada no Portal Debate Carajás. Alessandro negou existir ‘alvará de soltura’ porque ele não foi preso, mas sim conduzido para averiguação. Na apresentação, foi lavrado o Boletim de Ocorrência Nº 00215/2021.100604-5, de 17/4/2021, registrado às 14h57, cuja cópia foi fornecida ao jornal pelo próprio Alessandro, onde existe o relato dos fatos narrados pelos militares do BPRV e divulgados pelo diário jornalístico de Marabá.

O policial esclareceu que nasceu no estado do Pará, onde possui vários amigos na PM e desfruta de boas referências. Ele protestou, dizendo que os militares do Batalhão de Polícia Rodoviária são de Belém, não procuram saber as referências do abordado e divulgaram o relato da ocorrência de forma precipitada, porque não aguardaram o término da averiguação na Delegacia de Xinguara.

O Sd relatou que seu celular gravou toda a abordagem, porém o aparelho foi tomado pela guarnição e deixado na Delegacia de Polícia Civil. O militar disse ainda que, durante a busca pessoal, foi pressionado para fornecer a senha do telefone, no entanto teria se negado, porém precisa reaver seu meio de comunicação.

Alessandro Bento forneceu cópia da identidade funcional da Polícia Militar de Mato Grosso, comprovação do registro de diversas armas e laudos que atestam a doença de sua mãe. O PM relatou ainda que desenvolve trabalhos sociais, mensais, em comunidades carentes da pequena cidade de Vila Rica, com 23 mil habitantes, localizada no nordeste do Estado de Mato Grosso, onde reside e trabalha de forma digna.

Militar participa de trabalhos sociais em Vila Rica (MT) – Crédito: Arquivo pessoal

CORREGEDORIA

Durante a manhã de de terça-feira (20), por volta de 10h32, a Corregedoria Geral da Polícia Militar de Mato Grosso (MT) entrou em contato com o Portal Debate Carajás e informou que o órgão deu início a instauração de um processo de apuração dos fatos narrados, em desfavor de do PM Alessandro Moreira Bento, com o objetivo de aclarar a verdade.  (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!