Marabá
29°C
Overcast clouds

Pastores da Universal em Angola rompem com Edir Macedo após vasectomias forçadas

Cisma põe em xeque a sobrevivência da Universal em um dos principais espaços no exterior.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Os pastores angolanos da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) romperam com o fundador, bispo Edir Macedo e com lideranças da igreja brasileira sob acusação de desvio de recurso para o exterior. Funcionários locais também apontaram para discriminações e esterilização de sacerdotes africanos.

Os angolanos dizem ter apoio de 330 pastores e bispos da Universal do país. A exigência é que os líderes brasileiros da instituição saiam do “território nacional dentro dos prazos estabelecidos pelas autoridades migratórias” para que a igreja seja liderada de forma exclusiva por angolanos, segundo um comunicado divulgado pela imprensa local. 

“Clara violação dos direitos humanos, da lei e da Constituição da República de Angola”, além de ser estranha aos costumes da realidade africana e angolana”, alega o grupo. 

A situação põe em xeque a sobrevivência da Universal em um dos principais espaços no exterior e ocorreu a poucas semanas da Iurd ser expulsa em São Tomé e Príncipe, outro país africano. As acusações também incluem privilégio aos pastores brasileiros e a realização forçada de vasectomia em pastores da região. 

Os pastores denunciaram que no último ano, pastores solteiros e casados eram submetidos ao procedimento cirúrgico para evitar procriação, por orientação do bispo Edir Macedo. 

IG

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!