Marabá
22°C
Scattered clouds

Passear durante toque de recolher pode gerar multa em Marabá

”Bater pernas” pela Praça São Francisco, por exemplo, após as 22h pode ser ofensivo ao bolso a partir desta 6ª | Foto: Vinícius Soares/Debate Carajás
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Os órgãos de segurança de Marabá, no sudeste do Pará, começarão a aplicar multas, a partir desta sexta-feira (5), em quem for flagrado “charlando” pelas ruas da cidade no horário compreendido entre 22h e 5h.

Ao ser flagrado fora de casa, o CPF do infrator receberá a penalidade – essa é a promessa, mas como será executada ninguém sabe. Ao mesmo tempo, órgãos do governo estadual serão notificados para fazer com que a fatura chegue a casa do indivíduo.

Ao Portal Debate Carajás, o tenente-coronel Benedito Tobias Sabbá Corrêa, comandante regional da Polícia Militar, argumentou que o primeiro dia do toque de recolher da atualização do Decreto nº 800/2020 foi utilizado para conscientização, mas a partir desta sexta-feira (5), multas serão aplicadas em quem insistir em desrespeitar a medida.

Comandante do CPR II, Sabbá conversou com repórter do portal durante operação de fiscalização na primeira noite de validade da atualização do decreto

Ele conversou com repórter do domínio ainda no primeiro dia de fiscalização, na quarta-feira (3) à noite, depois das 18h. Na ocasião, ele passou por lanchonetes e afins que ainda estavam funcionando para orientar os responsáveis de que teriam de finalizar as atividades com o público nas mesas.

O decreto em vigor possui a duração de sete dias – até terça-feira (9) – e foi anunciado em coletiva de imprensa realizada por Helder Barbalho (MDB). O governador reclassificou o Pará com a cor vermelha devido ao alto risco de transmissão da covid-19 na pandemia e a baixa capacidade do sistema de saúde.

Ainda conforme Sabbá, a rapaziada que gosta de jogar uma bolinha aos fins de semana, às escondidas, deve tomar muito cuidado, porque a fiscalização chegará também às praças esportivas. O mesmo procedimento será aplicado na fiscalização de festas clandestinas. Os organizadores e clientes serão autuados e podem até ser conduzidos à delegacia.

Na avaliação do comandante, porém, mais importante que possíveis autuações e prisões é a conscientização das pessoas. O objetivo da atualização do decreto é desafogar o sistema de saúde pela queda do número de casos confirmados na cidade, o que só acontecerá com respeito às medidas adotadas pelas autoridades.

Epidemiológico sinaliza para cenário ainda grave com a pandemia em Marabá

O boletim epidemiológico, publicado nesta quinta-feira (4) pela Prefeitura de Marabá, indicou que o município está com 96% dos leitos de UTI ocupados e 86% de leitos de enfermaria com pacientes. Além disso, 160 pessoas estão em tratamento domiciliar. O número de mortes chegou a 288. Já são 15.304 casos confirmados. (Pedro Souza e Vinícius Soares)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!