Marabá
29°C
Overcast clouds

‘Operação Dois Fatores’: PF cumpre 4 mandados de busca e apreensão em Marabá

Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A “Operação Dois Fatores”, deflagrada pela Polícia Federal (PF), na quarta-feira (16), cumpriu 11 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão, contra integrantes de um grupo de criminoso, acusado de roubar mais de R$ 18 milhões em uma fraude envolvendo o acesso a contas de prefeituras do interior do Mato Grosso, segundo o Governo Federal. Os suspeitos moram em Mato Grosso (MT); Goiás (GO), Pará (PA), São Paulo (SP), Maranhão (MA), Bahia (BA) e Distrito Federal (DF).

Além de 11 mandados de prisão, a operação policial procura criptomoedas em endereços ligados à quadrilha através de mandados de busca e apreensão. De acordo com a investigação sobre o caso, os criminosos transformaram parte do dinheiro roubado em criptomoedas. A ação reuniu mais de 70 agentes federais, logo após uma denúncia sobre o caso ser encaminhada pela Caixa Econômica Federal .

“As fraudes nas contas das prefeituras causaram diversos prejuízos para os municípios, desde atraso dos salários de servidores até a falta de pagamento de fornecedores, tendo em vista que os valores foram totalmente subtraídos das contas bancárias.”

Fraude rouba R$ 18 milhões

A Polícia Federal deflagrou uma operação que visa desarticular uma quadrilha que cometia fraudes financeiras pela internet. A denúncia mostra que em apenas quatro dias o grupo conseguiu roubar mais de R$ 18 milhões.

Segundo a Caixa Econômica Federal, a fraude foi descoberta após a movimentação atípica de dinheiro em contas ligadas às prefeituras de Pontes e Lacerda, duas cidades que ficam no interior do Mato Grosso.

O banco percebeu que mais de R$ 2 milhões foram movimentados pelas contas, em apenas algumas horas. A movimentação chamou a atenção da Caixa Econômica Federal, que formalizou uma denúncia contra a quadrilha através da Polícia Federal.

“A investigação teve início a partir de denúncia formulada pela Caixa Econômica Federal que relatava a ocorrência, em poucas horas, de transações fraudulentas que somavam mais de R$ 2 milhões em prejuízo de conta bancária da Prefeitura de Pontes e Lacerda/MT, município localizado a 443 km de Cuiabá/MT. Em um intervalo de quatro dias o prejuízo potencial dos ataques cibernéticos a prefeituras foi superior a R$ 18 milhões.”

PF procura criptomoedas

No total, a Operação Dois Fatores cumpre 28 mandados judiciais relacionados à investigação da quadrilha que roubou R$ 18 milhões e transformou parte do dinheiro em criptomoedas.

Dos 28 mandados judiciais, 11 deles representam pedidos de prisão para integrantes da quadrilha. Enquanto isso, 11 dos mandados são para busca e apreensão de bens.

Nesse caso, a Polícia Federal espera encontrar criptomoedas em posse dos acusados de desviar R$ 18 milhões de prefeituras do interior do Mato Grosso. Segundo a investigação, a quadrilha transformou parte do dinheiro roubado em criptomoedas, como o Bitcoin.

“A Polícia Federal visa, além da prisão dos operadores das fraudes e dos beneficiários das transferências fraudulentas, angariar mais provas relacionadas aos crimes cometidos, apreender bens obtidos com o proveito dos ataques cibernéticos e recuperar valores convertidos em criptomoedas.”

Operação Dois Fatores foi deflagrada pela PF – Crédito: Governo Federal

A Operação Dois Fatores foi deflagrada pela Polícia Federal em busca de desmantelar uma quadrilha que, em apenas quatro dias, roubou R$ 18 milhões de prefeituras e transformou parte do dinheiro em criptomoedas. Batizada de “Operação Dois Fatores”, o nome da operação faz referência ao famoso 2FA, utilizado por investidores como uma proteção para contas com saldos em criptomoedas.

De acordo com a investigação, o alvo dos criminosos eram funcionários do alto escalão das prefeituras que perderam dinheiro com a fraude. Além disso, a quadrilha era composta por hackers e funcionários de empresas de telefonia.

Segundo a PF, a organização criminosa tinha, dentre os seus integrantes, hackers, funcionários de operadoras de telefonia e pessoas distribuídas em diversas localidades do país. Os principais ataques cibernéticos eram direcionados a servidores ocupantes do primeiro escalão das prefeituras municipais.”

Assim, com o acesso às contas bancárias das prefeituras, a quadrilha então roubava o dinheiro que era posteriormente transferido para outras contas. No total, a Operação Dois Fatores realizou buscas em cinco estados além do Distrito Federal, sendo eles Maranhão, Bahia, Pará, Goiás e São Paulo.

Marabá

As investigações da Polícia Federal (PF) chegaram a 4 suspeitos de integrarem a quadrilha em Marabá, no sudeste do Pará. A ondem judicial foi cumprida em um endereço no bairro Laranjeiras, o 3º foi cumprido na Folha 19 e o 4º mandado foi cumprido na Folha 10, bairro Nova Marabá. Já os mandados de prisão foram executados no estado de Mato Grosso e Distrito Federal. Não houve prisão em Marabá.

Veículo apreendido em Marabá – Crédito: Whatsapp

Fonte: Portal Debate Carajás

(Com informações Paulo José)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!