Marabá
25°C
Scattered clouds

Motociclista morre após ter pescoço cortado por linha de cerol em Marabá

Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Morreu na tarde deste sábado (27) o motociclista David Pereira da Silva, de 30 anos, que deu entrada no Hospital Regional após ter o pescoço ferido por uma pipa com cerol em frente ao Ginásio Poliesportivo Renato Veloso, na Folha 16, núcleo Nova Marabá.

Pai de família e funcionário do Quero Gelo, na Folha 21, o homem é mais uma vítima do cerol. Ouvido pela Redação do Portal Debate Carajás, o advogado Hans Robert Braga afirmou que ainda não há lei federal que objetive a coibição do cortante. “Na esfera administrativa, não há, no momento, lei federal disciplinando a matéria, mas em alguns estados há leis que proíbem a fabricação, assim como a comercialização, da mistura de cola e pó de vidro utilizada nas linhas para pipa”.

Após o acidente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e, de imediato, uma ambulância conduziu David ao hospital, mas menos de uma hora depois veio a óbito. A esposa do homem, que preferiu não falar com a imprensa, está inconsolável.

Saiba mais

O cerol, também chamado de cortante, é capaz de deprimir, machucar e matar. O material, que é formado da mistura de cola com pó de vidro, faz cada vez mais vítimas e escancara um desafio antigo, mas que ainda demanda a atenção especial das autoridades. À vista disso, ações de conscientização e punições rigorosas são medidas urgentes para combater as linhas cortantes.

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!