Marabá
25°C
Clear sky

Motoboy filmava sexo com mulheres e depois divulgava

Motoboy, de 36 anos, publicava imagens íntimas em grupo no WhatsApp sem consentimento das vítimas, segundo investigações. Ele deve responder por divulgação de cena de sexo ou pornografia
Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), no Distrito Federal, indiciou um homem de 36 anos suspeito de divulgar cenas de sexo com mulheres em um grupo no WhatsApp. Segundo a investigação, o motoboy compartilhava vídeos e fotos após encontros com as vítimas, sem o consentimento delas.

Nesta quarta-feira (21), a Polícia Civil cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa do suspeito e apreendeu um celular, um computador e um pendrive.

Testemunhas, que preferiram não se identificar, contaram que o homem divulgava, “há alguns anos”, fotos e vídeos de encontros dele com mulheres, mas, há cerca de um mês as publicações de cenas de sexo se tornaram mais recorrentes. O grupo tem cerca de 50 membros.

“A gente se revoltou com o tanto de pessoas que ele fica expondo, todo mundo tem mãe, tem irmã, pessoas que entram nesse aplicativo, pessoas que saem de um relacionamento e entram com esperança de conhecer alguém”, disse uma testemunha.

Ainda de acordo com membros do grupo no aplicativo de mensagens, a cada encontro, o investigado mandava uma avaliação com a foto, ridicularizando as mulheres.

O homem vai responder por divulgação de cena de sexo ou pornografia. Segundo o Delegado Thiago Hexsel, à frente do caso, o motoboy confessou a prática e já havia sido processado em outra ocasião pelo mesmo crime.

“O próprio autor confessou a prática do crime, inclusive ele relatou que em outras situações, com outras mulheres, ele também filmava e tirava fotos, sob o argumento de achar que isso não era crime.”

Imagens íntimas

Uma das vítimas, que também não quer se identificar, contou que saiu apenas uma vez com o homem e que não sabia que ele estava tirando fotos e gravando as cenas de sexo. Ela descobriu após participantes do grupo de WhatsApp procurá-la para contar o que estava acontecendo.

Em outro caso, uma mulher contou à reportagem que não teve relação sexual com o homem, mas que ele a convidou para sair e a levou para casa da família dele. Depois, tiraram algumas fotos no encontro, mas, segundo a vítima, não imaginava que ele iria colocar as imagens em uma rede social.

Após a divulgação da foto, o homem teria feito “comentários maldosos”, segundo a vitima, a respeito do encontro. A mulher contou que chegou a pedir para ele retirar a foto, mas o homem negou.

Durante a investigação, a Delegacia da Mulher pretende identificar outras vítimas do suspeito. (G1)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!