Marabá
31°C
Clear sky

Márcio Alves é eleito no Sindecomar com 70,6% dos votos

Márcio Alves, ao centro, liderou a oposição contra Sheila Neves e João Luís | Fotos: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O grupo unido em torno da Chapa 2 (Hora de Mudar), representada por Márcio Alves de Jesus, candidato a presidente, e Tâmara Rodrigues Souza, vice-presidente, na eleição para escolha da nova diretoria do Sindicato dos Empregados no Comércio do Município de Marabá (Sindecomar), foi eleito com 231 votos, o equivalente a 70,6% do total válido, na noite desta quinta-feira (11).

Os comerciários varreram neste dia histórico a turma de João Luís da Silva Barnabé, Sheila Rodrigues Neves e o restante da diretoria afastada (Chapa Recomeçar), que há anos dominava o ente sindical e terminou a apuração com apenas 96 votos (29,4%). No total, 332 trabalhadores aptos a votar compareceram às urnas, dos quais 327 escolheram uma das duas chapas e cinco votaram em branco.

O grupo liderado por Sheila Neves e João Luís Barnabé, há 33 anos à frente do Sindecomar, foi derrotado após ficarem desde novembro de 2019 utilizando-se de artifícios e tramoias jurídicas para não deixar a eleição acontecer. Os dois sindicalistas e mais 12 diretores já haviam sido expurgados da entidade sindical, por diversas suspeitas, pela Justiça do Trabalho no último dia 16 de dezembro, mas eles recorreram da sentença e lançaram candidatura.

Tâmara e Márcio comandarão o Sindecomar pelos próximos quatro anos

Sheila Neves e João Luís são acusados de misturarem o Sindecomar com o Sindicato Patronal, prejudicando bastante os trabalhadores pela retirada de direitos conquistados durante anos de luta. O processo eleitoral foi coordenado pela Junta Governativa composta por José Marcos de Lima Araújo (Belém), Dineia de Oliveira Capucho (Marabá) e Thiago de Castro Barbosa (Belém).

A Junta Governativa contou com o suporte do Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Vara da Justiça do Trabalho de Marabá para realizar o processo eleitoral. “De maneira democrática, livre e transparente, o comerciário de Marabá escolheu seu novo representante sindical”, celebrou José Marcos. Logo após a contagem de votos, a diretoria eleita foi empossada. Desta vez, por meio do voto, os trabalhadores definitivamente “passaram o rodo” no grupo de João Luís Barnabé.

Chapa 2 contou com amplo apoio dos trabalhadores do comércio

Patrão versus empregado

Segundo membros da diretoria eleita, empresas como o Grupo Líder, Grupo Mateus e Colina Varejo e Atacado deram uma pressão danada nos trabalhadores para não votar na Chapa 2, inclusive, sete integrantes da diretoria eleita chegaram a ser demitidos, em janeiro, pelo Líder Magazan, porém todos foram reintegrados pela Justiça do Trabalho de Marabá. No entanto, os empregados não cederam aos ditames dos patrões e escolheram o destino que consideravam o melhor para o sindicato.

Todos os integrantes da Chapa 2 são novatos no movimento sindical, mas, nos bastidores, estavam sob a orientação do ex-presidente Adelmo Azevedo de Lima e do advogado Rodrigo Albuquerque Botelho da Costa. O grupo foi eleito por meio da garra dos novatos e da experiência dos veteranos no tortuoso processo eleitoral.

Resultado oficial

Chapa 2: 231 votos | 70,6%

Chapa 1: 96 votos | 29,4%

Branco: 5 votos

Total de votos: 332

Nervosismo marcou o tempo da apuração do lado externo da sede do sindicato

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!