Marabá
24°C
Scattered clouds

Justiça mantém prisão de acusado de estuprar filhas gêmeas em Parauapebas

Harlison Silva é acusado de estuprar as próprias filhas - Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) negou pedido de liberdade do acusado Harlison Pinto Cunha Silva, suspeito de ter estuprado as duas filhas gêmeas, de 4 anos, em setembro de 2019, na cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará. O réu ficou foragido por um ano, foi preso em outubro de 2020, no município de Grajaú, no Maranhão e recambiado para o Pará.

A defesa de Harlison Silva alegou a falta de fundamentação da prisão. No entanto, os julgadores entenderam que há fundamentação e que ela se sustenta na garantia da ordem pública e da aplicação da lei penal, decidindo manter o mostro preso.

A mãe das vítimas estava separada de Harlison por conta de relacionamento abusivo. As crianças foram levadas da escola pelo motorista direto para a casa do pai, e no dia seguinte, as crianças foram para a casa da mãe. Uma das crianças reclamou de dores em suas partes íntimas e disse que o pai havia tocado e beijado as partes íntimas da irmã.

Desconfiada, a mãe das crianças denunciou o abuso na 20ª Seccional Urbana. O caso foi investigado e a Polícia Civil determinou a realização de exames, os quais comprovaram a prática de estupro de vulnerável. As crianças foram ouvidas em escuta especializada e confirmaram o ato libidinoso praticado pelo próprio pai.

Delegada Ana Carolina pediu a prisão do suspeito – Crédito: Reprodução

Fonte: Portal Debate Carajás

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!