Marabá
26°C
Scattered clouds

Internautas recuperam foto de Toni Cunha ao lado de Roberto Jefferson

Preso pela Polícia Federal nesta sexta-feira (13), Roberto Jefferson é presidente nacional do partido de Toni Cunha. Os dois aliados chegaram a fazer foto juntos
Roberto Jefferson, à esq., e Toni Cunha, à dir. | Foto: Reprodução/Redes Sociais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

MARABÁ, SUDESTE DO PARÁ – Após a prisão do presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, Roberto Jefferson, por suposta participação numa milícia digital responsável por atacar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e as instituições democráticas, internautas locais recuperaram uma foto do político preso com o deputado estadual Toni Cunha, filiado ao PTB.

Na foto, destacada na capa desta matéria, Toni Cunha aparece fazendo um “joinha” ao lado de Roberto Jefferson, que acena com um “V” de vitória.

Nas redes sociais, algumas páginas repercutiram a foto com o seguinte comentário: “Diga-me com quem andas e eu te direi quem tu és”.

Em sua fanpage, o deputado estadual defendeu a liberdade de Roberto Jefferson e criticou o STF. Os internautas reagiram à publicação com risadas.

“A prisão de Roberto Jeferson; tendo ele cometido crimes ou não, determinada por um ministro que em tese é vítima dele; é mais uma prova do desequilíbrio de algumas das autoridades mais importantes da República. Nenhum ato justifica ‘rasgar’ a constituição, o devido processo legal. Roberto Jeferson sequer tem prerrogativa de foro. Nenhum país democrático do mundo admite que um mesmo órgão investigue e julgue por decisões de uma mesma pessoa, no caso o ministro Alexandre de Moraes. Ofensa brutal ao modelo acusatório de processo. Quem deve proteger a CF e pacificar a sociedade faz o contrário”, escreveu o parlamentar.

Toni Cunha é ex-vice-prefeito de Marabá e delegado licenciado da Polícia Federal, que foi responsável por cumprir nesta sexta-feira (13) a prisão preventiva de Jefferson determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF. Mas foi a própria PF que pediu ao Supremo a prisão do político. Além da prisão preventiva, Moraes determinou busca e apreensão de armas e munições na casa de Jefferson e o bloqueio de todas as redes sociais do político.

Em Marabá, o PTB de Roberto Jefferson possui duas cadeiras na Câmara Municipal: uma de Ronisteu Araújo, pastor da Igreja Quadrangular, e outra de Elza Miranda, ex-deputada estadual.

Saiba mais

Roberto Jefferson foi figura central do escândalo do mensalão (mesada paga aos deputados para votação favorável de projetos de interesse do governo), ainda no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele chegou a ser condenado a sete anos e 14 dias de prisão, além de ser multado em R$ 720,8 mil, valor que foi corrigido pela inflação desde 2003, quando o esquema iniciou. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!