Organizadores do conjunto folclórico "Mayrabá" (Foto: divulgação)

Dia da Consciência Negra e Dia de São Félix de Valois, esta quarta-feira (20) promete uma vasta programação em alusão a essas datas em Marabá, sudeste paraense.

Na agenda do dia, o grupo folclórico Mayrabá, que comemora seu 25º aniversário de resistência cultural, fará homenagem a São Benedito no bairro Francisco Coelho, o Cabelo Seco, onde Marabá floresceu há 106 anos.

Foto: divulgação

Em parceria com o Grupo de Mulheres Raízes de Marabá e com o Coletivo Consciência Negra em Movimento, o Mayrabá se apresentará na praça do Cabelo Seco. A programação está prevista para iniciar às 14h com apresentações de danças, música ao vivo com cantores locais e também o já consagrado arrastão pelas ruas do bairro.

Fundado em 24 de junho de 1994 por Gilson Sobreiro, seminarista da Oblatus de Maria Imaculada, o conjunto de tradição popular estreou com o show “Origens” em 24 de setembro daquele ano.

Foto: divulgação

O Mayrabá surgiu com o objetivo de inserir a juventude da Nova Marabá, que vivia em uma zona de vulnerabilidade social, na igreja da Folha 28. Sete anos depois, percebendo o desinteresse dos jovens e adolescentes locais, o grupo mudou para o Cabelo Seco, permanecendo até os dias atuais.

Composto por professores da rede municipal de ensino, o conjunto folclórico sobrevive, ou, nas palavras dos integrantes, resiste com a venda de comidas típicas e com dinheiro, o cachê, que recebem por apresentações culturais pela cidade, marcadas pela exaltação da cultura paraense.

Foto: divulgação

Com a esperança de que o trabalho não pare, visto que a juventude se desinteressou pela atuação cultural, há três anos surgiu um pequeno grupo composto por 30 crianças dentro do Mayrabá, cujos coordenadores são Karla Barbosa Santis, Rosa Barbosa Santis e Josy Lorrany.

Vinícius Soares