Marabá
25°C
Few clouds

Ex-apresentador é obrigado a se retratar publicamente por ofensas a Angélika Freitas

Há seis meses, Edson Santos fez alegações falsas contra a jornalista e foi demitido da emissora em que trabalhava
Edson Santos assumiu o erro e se retratou pelas ofensas a Angélika Freitas | Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

MARABÁ, SUDESTE DO PARÁPassados mais de seis meses do lamentável episódio envolvendo difamação praticada em redes sociais, o ex-apresentador de televisão Edson Santos publicou nota de retratação em um jornal de circulação na cidade, por meio da qual reconhece ter causado transtorno e constrangimento à jornalista Angélika Freitas. A publicação aconteceu neste sábado (4) e é fruto de acordo celebrado entre as partes durante audiência de conciliação.

“Eu, Edson José Almeida dos Santos venho por meio da presente nota, retratar-me publicamente quanto as mensagens de áudio feitas por mim e encaminhadas a um grupo de WhatsApp da cidade de Marabá, onde viralizaram nas redes sociais e imprensa local. No conteúdo minhas declarações são falsas e criminosas contra a pessoa da senhora Angélika Freitas, onde as mesmas causaram transtornos e constrangimentos a sua pessoa e sua família. Deste modo, queroa ainda, externar os meus mais sinceros pedidos de desculpas por minhas ofensas e que meu erro sirva de exemplo para os demais, que agridem e ofendem as mulheres no âmbito social e profissional. Me comprometo a manter uma relação harmoniosa de respeito a mesma”, escreveu Edson na nota.

A retratação pública foi apenas uma das obrigações de Edson Santos diante de Angélika Freitas, advogados, juiz Augusto Bruno de Moraes Favacho e promotor Alan Pierre Chaves Rocha. O ex-apresentador deve ainda realizar a doação de 30 cestas básicas ao Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher (Comdim).

Assim, Angélika prometeu renunciar expressamente ao direito de oferecimento de queixa-crime contra Edson e informou o desinteresse no prosseguimento do processo, desde que o ex-apresentador respeite o acordo firmado no litígio.

Relembre

Em fevereiro deste ano, Edson Santos gravou e publicou nas redes sociais áudios ofendendo a honra e a integridade de Angélika Freitas depois de ter sido excluído da organização e apresentação de uma live solidária em benefício dos artistas de Marabá.

O episódio foi divulgado pelo Portal Debate Carajás na época, gerando enorme repercussão na cidade e no estado. Diversas entidades se posicionaram em defesa de Angélika, como Comissão de Mulheres do Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor-PA), Conselho de Jovens Empresários da Associação Comercial e Industrial de Marabá (Conjove/Acim), Conselho da Mulher Empresária de Marabá (Acim Mulher) e Associação dos Bares, Casas Noturnas e Similares do Pará (Abarma).

Edson trabalhava como âncora de telejornal na TV Kairós, pertencente à Assembleia de Deus Missão em Marabá, mas foi demitido depois do fato. Desde então, o profissional desapareceu da mídia. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!