Marabá
29°C
Overcast clouds

‘Turbidez’: Cor da água da Cosanpa causa ‘bate boca’ nas redes sociais em Marabá

Água está imprópria para uso doméstico - Crédito: Whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Consumidores da água fornecida pela Companhia de Saneamento do Pará, a popular “Cosanpa”, nos últimos dias, em Marabá, no sudeste do Pará, vem provocando um debate acalorado entre consumidores, revoltados com a turbidez da água, e defensores do governador Helder Brabalho (MDB),  nas redes sociais.

A Redação do Portal Debate Carajás conversou, hoje (4), por volta de 16 horas, com o diretor local da “Cosanpa”, “Carlinhos”, e ele informou que estava passando pela cidade de Goianésia, a caminho de Belém, para apanhar duas bombas dosadoras, adquiridas pelo presidente, José Antônio De Angelis, e  o produto químico polímero, utilizado para retirar a turbidez da água.

“Carlinhos” afirmou que retorna para Marabá ainda na noite de hoje (4) e espera resolver o problema nas próximas 36 horas. “A água está filtrada e clorada, só não está decanter, pois as duas bombas apresentaram problemas”, justifica. Nas redes sociais, centenas de consumidores estão ‘tiririca’ com a qualidade da água.

Cosanpa: Moradores sofrem com falta d’água em Marabá
Crédito: Portal Debate Carajás

Novo Marco de Saneamento

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou no dia 15/7/2020 o novo Marco Legal do Saneamento Básico. O principal objetivo da legislação é universalizar e qualificar a prestação dos serviços no setor. A meta do Governo Federal é alcançar a universalização até 2033, garantindo que 99% da população brasileira tenha acesso à água potável e 90% ao tratamento e a coleta de esgoto. Serviços que a Cosanpa não presta com qualidade em Marabá.

Contratos de concessão

A nova lei extingue os chamados contratos de programa, firmados, sem licitação, entre municípios e empresas estaduais de saneamento. Esses acordos, atualmente, são firmados com regras de prestação de tarifação, mas sem concorrência. Com o novo marco legal, abre-se espaço para os contratos de concessão e torna obrigatória a abertura de licitação, podendo, então, concorrer à vaga prestadores de serviço públicos e privados.

A turbidez da água suja tudo – Crédito: Portal Debate Carajás

Fonte: Portal Debate Carajás

 

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!