Você viu que a greve não foi geral, apenas parcial. Os líderes do movimento não atingiram seus objetivos, que era parar o Brasil. Só conseguiram irritar a população prejudicada e criar incidentes, alguns deles graves. Mas o país funcionou quase que normalmente. Fica difícil fazer uma greve geral quando o país tem 13 milhões de desempregados. O estranho é que essa greve é patrocinada pelo PT e seus satélites, exatamente aqueles que levaram o país pra situação que vivemos e saquearam os cofres públicos do Brasil.

Foi esse o principal e mais factível comentário tecido acerca da greve, ou melhor, paralisação de ontem – que ao contrário do que se pretendia, não foi geral. O jornalista Boris Casoy, em opinião no telejornal RedeTV News, do qual é âncora, foi certeiro em suas colocações.

Por muito tempo, o PT, que prega a encenação Lula livre, e seus anexos – PSOL, PCdoB, PCB, PSTU, PSB, PDT, Cidadania e Rede Sustentabilidade – lograram êxito em seus intentos, cujo cardinal era estacionar o país. Foram anos de greve geral, por assim dizer.

Em Marabá, meia dúzia de gatos pingados compareceram ao ato

Outrossim, a população demonstrou nas urnas, em 2018, que anseia sair da inércia em que nos albergaram as associações antes citadas. Para que isso se processe, portanto, é urgente a aprovação da tão criticada, pela oposição que nos submergiu na recessão, reforma da Previdência proposta por Paulo Guedes, ministro da Economia.

As pessoas clamam pela reação de um país maltratado pela miséria e pelo desemprego. Eu sou Vinícius Soares, 17, colunista e redator do Portal Debate Carajás. Inté!

LEIA TAMBÉM: Maioria da população passa a ser favorável à reforma da Previdência, mostra pesquisa XP/Ipespe