Vigilante mata colega e comete suicídio na Universidade Federal do Pará

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Motivação do crime ainda é desconhecido. A polícia continua investigando o caso. | Via WhatsApp

Os vigilantes encontrados mortos dentro do campus da Universidade Federal do Pará (UFPA) de Castanhal, nordeste do Pará, na manhã de ontem (15), tiveram perfurações de bala na nuca e na boca é o que apontou a perícia.

De acordo com informações levantadas pelo repórter Tiago Silva, do DIÁRIO DO PARÁ, peritos encontraram uma perfuração na nuca do vigilante Alex Roger Castro de Oliveira, 32 anos. O projétil varou a testa, o que indica que ele foi alvejado por outra pessoa.

Enquanto que o vigilante Gessé Gomes da Silva, de 52 anos, teve um projétil atingindo a boca. Ainda segundo informações da Polícia Civil, primeiro o vigilante Gessé teria atirado contra o vigilante Alex e depois Gessé teria cometido suicídio atirando na própria boca.

Investigação

De acordo com o delegado Paulo Henrique, Superintendente da Polícia Civil de Castanhal e Região, quatro armas de fogo foram apreendidas, sendo duas dos vigilantes mortos e as outras duas dos dois vigilantes que também estavam em serviço no campus da UFPA de Castanhal, no momento do ocorrido.

“Esses outros dois vigilantes que lá estavam devem ser ouvidos. Também vamos ouvir responsáveis pela empresa de vigilância, pois queremos saber se a empresa tinha algum conhecimento ou não da desavença que possuíam os vigilantes Gessé e Alex. Tudo vai ser apurado nos mínimos detalhes”, garantiu o delegado Paulo Henrique Júnior.

Em nota, a UFPA apenas confirmou que dois vigilantes da empresa terceirizada que presta serviços à instituição foram encontrados baleados e mortos em área de circulação do campus e, que as circunstâncias das mortes ainda são desconhecidas e estão sendo apuradas pela Polícia Civil. 

Diário do Pará

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!