O vereador da Câmara Municipal de
Bragança, César
Monteiro (PR)
, acusado de envolvimento na morte do radialista, Jairo Sousa,
apresentou-se na tarde desta terça-feira (20), na Divisão de Homicídios (DH) da
Polícia Civil, em Belém. O homem prestou depoimento para os delegados
Dauriedson Bentes e Eduardo Rollo, que conduzem as investigações sobre a morte
do radialista. Após o término do depoimento, segundo a Polícia Civil, o
vereador foi conduzido ao Sistema Penitenciário, em cumprimento do mandado de
prisão temporária decretado na Operação Pérola.
Na
última sexta-feira (16), seis homens acusados de participação na morte do
radialista Jairo Sousa
,
morto a tiros na madrugada do dia 21 de junho, em Bragança, foram presos e
apresentados na sede da Delegacia Geral, em Belém. Todos foram presos em uma
operação realizada em vários municípios da região nordeste do Pará, que contou
com cerca de 50 policiais. Na ocasião, o vereador César Monteiro não havia sido
localizado e foi considerado foragido.




Alberto Campos, advogado do vereador,
afirmou que o cliente nega qualquer tipo de envolvimento no homicídio de Jairo
Sousa. “O radialista denunciava várias irregularidades, não só na
prefeitura de Bragança, então há um elenco de possíveis mandantes do crime. O
meu cliente não tem motivo para ter contratado pistoleiros para executarem o
radialista”, afirmou. 
O advogado frisou que amanhã irá
impetrar com um pedido de habeas corpus, para que o vereador responda ao
inquérito em liberdade. “Aguardaremos a decisão do judiciário, quando ele
certamente provará sua inocência. Confiamos na versão que ele apresentou, de
que não tem qualquer relação com o homicídio do radialista.


Alberto Campos disse ainda que o Jairo
Sousa chegou a mencionar o nome do vereador no programa de rádio. “O
radialista fazia sua função de jornalista e denunciava irregularidades na
prefeitura e na câmara de Bragança. Uma hora ou outra, vez por outra, ele
citava o nome do meu constituinte, mas isso não é motivo para que gere toda
essa violência e toda essa suspeita em relação ao meu cliente”, enfatizou.
O caso – Segundo
a investigação da Divisão de Homicídios, o crime foi motivado pelas críticas que
o jornalista fazia contra políticos e empresários da região em seu programa de
rádio. Jairo Souza apresentava o programa Show da Pérola, no qual fazia denúncias
de irregularidades e desvios envolvendo prefeituras e empresas ligadas a
processos licitatórios. 





A Operação Pérola, batizada em referência ao programa
de rádio, cumpriu ainda quatro mandados de busca e apreensão na casa de
acusados e em empresas. O autor do assassinato seria Dione Souza Almeida,
de 29 anos, que segue em prisão preventiva de trinta dias, assim como César
Monteiro e os outros cinco envolvidos, que estão presos enquanto as
investigações estão sendo concluídas. 
Fonte: Portal ORM