Marabá
35°C
Clear sky

Vereador acusa agente do Detran de cobrar propina de motoristas em Marabá

“Aerton Grande” denunciou suposto recebimento de propina de agente do Detran
Aerton Grande e agente do Detran batem boca | Foto: Reprodução/Redes Sociais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O vereador Aerton Lima da Cruz (Solidariedade), conhecido popularmente como “Aerton Grande”, teceu graves denúncias, na tarde desta terça-feira (8), contra um agente do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA), Raoni Daniel, por um suposto recebimento de propina, em uma barreira, localizada na entrada da Vila Sarandi, sentido a cidade de Nova Ipixuna, na PA-150, em Marabá, no sudeste do Pará.

“Aerton Grande” relata em um vídeo (veja abaixo), apontando para o agente de trânsito, com as palavras textuais: “Esse cidadão aqui está pedindo dinheiro. Ele para os caminhões, pede dinheiro e fica extorquindo”. O agente retruca o parlamentar com a seguinte expressão: “Ele foi autuado”. Em seguida, a gravação é encerrada. Em um passado não muito distante, essas barreiras viraram um inferno na vida do povo de Marabá e foram abolidas do entorno da Terra de Francisco Coelho.

Ao fundo, é possível ver um policial militar, observando a treta. Neste momento, o o servidor do Detran solicita à PM a prisão do vereador, porém não ele não teve o pedido atendido. O Portal Debate Carajás conversou com “Aerton Grande” a respeito da celeuma. O edil de Marabá fez outras denúncias mais graves contra o fiscal de trânsito e afirmou que quase foi agredido.

Segundo o parlamentar, o Raoni é da capital Belém. “Aerton Grande” afirmou que vários caminhões da Prefeitura de Marabá estão sendo multados porque estão transportando piçarra para realização do arruamento do Bairro Morada Nova. Ao passar pela blitz, o condutor é parado e só é liberado através do pagamento de propina para o agente do Detran.

O vereador afirmou ainda que os motoristas que transportam manganês e outros minérios, estacionam o caminhão a 1 km de distância da barreira, se dirigem até Raoni Daniel, a pé, pagam a propina e são liberados. “Estamos vendo uma extorsão criminosa por parte do governo Helder Barbalho. É isso que a gente ganha dele”, finaliza o parlamentar de Marabá.

A Reportagem não teve acesso ao número do telefone de contato do servidor público para ouvir a versão de Raoni Daniel sobre as graves denúncias expostas no vídeo, gravadas na frente dele, mas o espaço fica à disposição. Se as denúncias forem provadas, o caso se reveste de extrema gravidade e vai necessitar de uma investigação mais apurada do Ministério Público do Estado do Pará. (Portal Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!