Marabá
26°C
Scattered clouds

Técnica inovadora recupera centenas de pacientes com covid-19 no Regional de Marabá

Em Marabá, na região sudeste do Pará, profissionais de saúde na linha de frente do combate à pandemia utilizam uma técnica respiratória reconhecida internacionalmente para tratar e auxiliar na recuperação de pacientes
Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

No Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), que integra a rede pública de saúde do Estado, a técnica é utilizada desde o início da pandemia. A unidade é referência no tratamento de pacientes com a doença, recuperando cerca de 600 pacientes da covid-19.

Conhecida pelo termo “pronação”, a técnica coloca a pessoa deitado de bruços, sendo aplicada nos pacientes que apresentam problemas respiratórios graves, provocado pela infecção da doença.

No HRSP a técnica foi desenvolvida e faz parte das ações de capacitação do Núcleo de Educação Permanente da unidade (NEP), voltadas às equipes médica e assistencial.

Segundo Valdemir Girato, diretor Hospitalar do HRSP, desde o primeiro caso da doença atendido no hospital, em março de 2020, a unidade se mantém em constante evolução para continuar prestando uma assistência que proporcione plena recuperação dos pacientes.

“Nós nos preparamos desde o início para oferecer o melhor tratamento possível aos nossos pacientes. Quando foi identificado o primeiro caso da Covid-19 no País, criamos um comitê de gerenciamento de crise, para implementar protocolos de atendimentos e, principalmente, capacitar nossos profissionais para combater a doença”, ressalta.

A técnica

A técnica da pronação, utilizada nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do HRSP, com atendimento exclusivo aos casos do novo coronavirus, contribui para auxiliar na recuperação de pacientes que apresentam a Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), uma das complicações da Covid-19.

A síndrome causa acúmulo de líquidos nos pulmões, e a redução da oxigenação do sangue a níveis excessivamente baixos, podendo levar o paciente a óbito. O procedimento posiciona o paciente de “barriga para baixo”, permitindo maior fluxo sanguíneo, e melhora das trocas gasosas e parâmetros respiratórios.

Recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a técnica realizada pela unidade, que pertence ao Governo do Pará, sendo gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde, é aplicada no HRSP por uma equipe multidisciplinar formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, e técnicos de enfermagem.

De acordo com o médico Cassiano Barbosa, diretor técnico do hospital, a manobra de pronação, ou prona como também é chamada, é uma conduta que auxilia no tratamento de doenças respiratórias graves, e vem sendo utilizada no mundo todo, principalmente agora durante a pandemia.

“Vários pacientes com Covid-19 que recebemos em estado grave, chegam entubados, sem boa oxigenação nos pulmões. Para ajudar aqueles que tem indicação para a conduta, colocamos de bruços para permitir que os pulmões se expandam novamente e assim melhore a sua oxigenação”, explicou.

O médico ainda explica que durante toda a pandemia até o momento, 20% dos pacientes internados na unidade, mais de 200 precisaram ser submetidos a manobra de prona, executada na unidade com participação de seis profissionais da equipe multiprofissional.

Para Paula Dorigetho, enfermeira da equipe multidisciplinar da unidade, o HRSP possui profissionais altamente qualificados, que participam de treinamentos regulares, e que estão aptos para esse procedimento, que até agora foi realizado com sucesso.

“A prestação de uma assistência qualificada passa necessariamente, por uma atualização efetiva dos profissionais de saúde. No Regional do Sudeste do Pará a equipe multidisciplinar responsável pela aplicação da técnica de prona participa regularmente de treinamentos práticos e teóricos, que os credenciam para realizar o procedimento com segurança”, afirmou.

O HRSP presta atendimento 100% gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo referência para mais de 1 milhão de pessoas de 22 municípios da região. (Divulgação)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!