Marabá
31°C
Clear sky

Suspeitos ‘levam farelo’ e polícia apreende armas e madeira ilegal no nordeste do Pará

Agentes da "Netuno II" em plena ação em rios e furos do Baixo Tocantins
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

No quarto dia da Operação Netuno II, deflagrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), na Região de Integração Tocantins, nordeste do Pará, nesta terça-feira (26), dois homens, acusados de integrar um grupo que comete assaltos na região, trocaram tiros com os policiais, foram atingidos e não resistiram aos ferimentos. Os nomes dos suspeitos mortos não foram divulgados.

Os acusados estavam escondidos na Comunidade Santa Maria, às margens do Rio Itamibunca, no município de Abaetetuba. Os agentes chegaram ao local após receberem informações sobre o esconderijo.

No imóvel, foram encontradas uma arma de fogo caseira e uma escopeta com o cano serrado. Os agentes apreendera ainda dois motores de 15 HP e de 7 HP, uma 1rabeta1 e uma lancha com motor de centro, que os dois usavam para fazer assaltos nos municípios de Igarapé-Miri e Abaetetuba.

Denúncias foram averiguadas em várias áreas às margens dos rios.

“Para a população que vivia amedrontada, e pediu a presença da segurança no local, é um alívio. Para nós, que estamos empenhados nessa missão, é de grande valor sabermos que, de fato, era uma área que necessitava de uma ação mais enérgica”, disse Arthur Braga, diretor do Grupamento Fluvial (Gflu) e coordenador da Operação.

Os agentes também foram a uma residência, às margens do Igarapé João Ribeiro, às proximidades do Rio Meruu, em Igarapé-Miri, em busca de outros assaltantes. No imóvel, os policiais encontraram uma pistola Bereta, um carregador de pistola Glock com 17 munições de 9 mm, duas televisões (de 32 e 50 polegadas), um aparelho de vídeo  Game Xbox, um ‘casco de alumínio’ de 6 metros e uma caixa de som, mas os meliantes sonseguiram escapar.

Fuga pela mata

Outra denúncia levou os agentes a uma chácara, onde uma festa de aniversário reunia pessoas acusadas de cometer assaltos na região. Quando viu a chegada da polícia, um grupo começou a pular o muro em direção a uma área de mata.

Uma pessoa não identificada efetuou um disparo contra a equipe policial, que respondeu com um tiro de advertência. Foram feitas buscas na mata, mas ninguém foi atingido. No local foi encontrada uma ‘pochete’ com 90 munições de 9 mm, que os policiais acreditam pertencer a um dos fugitivos.

Após revista na chácara, os policiais encontraram identificações pessoais e constataram que várias pessoas que estavam no local já possuíam passagem pela polícia. Os agentes também entregaram à Secretaria de Meio Ambiente de Igarapé-Miri, como fiel depositária, os 380 metros cúbicos de madeira ilegal, apreendidos sem nenhuma documentação.

Armas encontradas pelos policiais durante as buscas.

Fonte: Portal Debate Carajás

(Com informações Agência Pará)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!