Marabá
23°C
Scattered clouds

Supermercados são denunciados por suposta venda de carcaças de peixes

Fiscalização constatou que a informação que circulou nas redes sociais não é verdadeira e a comercialização atende às regras da fiscalização sanitária
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Depois de circular em redes sociais que redes supermercadistas de Belém estariam vendendo carcaça de peixe para consumo, o Procon e o Ministério Público do Estado fiscalizaram nesta sexta-feira (8) a venda do produto em um supermercado para verificar se há irregularidades na comercialização.

Os fiscais do Procon Pará e do MPE averiguaram preços, notas fiscais dos produtos e questões sanitárias. Além da parte de venda de peixes congelados e in natura, as equipes entraram no frigorífico de armazenamento do pescado.

O coordenador de fiscalização do Procon Pará, Rodrigo Moura, afirmou que todos os produtos da parte de peixaria da rede Formosa estão em consonância com a legislação vigente. “Foram verificados que todos os peixes que têm procedência por meio da nota fiscal e registro nos órgãos de inspeção sanitária e não detectamos a venda de espinhaço, além das boas práticas de fabricação estão dentro dos padrões exigidos pelas fiscalizações sanitárias”, afirmou.

A fiscalização foi acompanhada pelo gerente geral do supermercado, Mávio Melo, que ressaltou às equipes que todas as lojas da rede vendem o produto e que não é composto por carcaça de peixe. “O que nós vendemos são aparas, como as ventrechas, o rabo e a cabeça. Produtos que todos os dias têm uma grande saída dentro das lojas”, esclareceu.

O Procon é vinculado à Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). (Com Agência Pará)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!