Após uma denúncia anônima, a Polícia
Militar prendeu, neste feriado de quinta-feira (15), três homens e duas
mulheres suspeitos de envolvimento no assalto a uma agência do Banpará em
Viseu, ocorrido no dia 6 de novembro deste ano. Foram presos, José Maria Nogueira
dos Reis, de 30 anos, Gilvan Vieira Lobato, 38 anos, Gilney Vieira Lobato, de
34, Larissa Pereira da Paixão Matos, 23 e Elaine Cristina Botelho Barroso, de
34 anos.

Para chegar aos acusados, segundo
informações da Assessoria de Comunicação da Polícia Militar, os policiais
receberam informação anônima de que havia um movimento suspeito em uma
residência e que poderia ser algo ligado a roubo. 
Diante da denúncia, a equipe do Grupo
Tático Operacional (GTO) da Polícia Militar foi até o local, no bairro do
Riozinho, em Bragança, onde os suspeitos foram abordados. Eles estavam em um
carro modelo Strada, de cor branca e com placa de Vigia. Em revista no carro e
na casa foram encontrados armamentos tipo pistolas, carregadores e munições e
parte do dinheiro ainda não contabilizado, de acordo com a PM.
Ainda no local da abordagem, a Polícia
Militar recebeu informação de que outro carro – tipo Pick Up, cor prata – já
havia saído do local. Em seguida, a polícia se deslocou na tentativa de
encontrá-lo, no entanto, não conseguiu. 
A Polícia Militar afirmou ainda que as
pessoas detidas disseram que não iam falar mais nada com os policiais. Depois,
todos foram apresentados na Delegacia de Polícia de Bragança e todo material e
dinheiro foram apresentados à delegada Mara.








Relembre o caso – O assalto a
uma agência do Banco do Estado do Pará (Banpará) em Viseu ocorreu no
último dia 6. O caso mobilizou a polícia rumo ao município e gerou pânico na
população do nordeste paraense, na manhã daquela terça-feira. Na tarde do dia 8
deste mês, outro suspeito de participação no assalto ao banco foi preso. Ainda
de acordo com informações da Polícia Civil, o acusado, identificado pelo
apelido “Balica”, estava escondido na comunidade do Pimenta, na zona
rural da cidade.
O assalto foi cometido na modalidade
“vapor” ou “novo cangaço”, que terminou com o baleamento de
um segurança do banco e na captura de cerca de dez reféns, com alguns sendo
amarrados aos capôs dos carros, em uma ação que assustou os moradores do município
que faz fronteira com o Maranhão.




Durante o assalto os bandidos sitiaram a
cidade e fugiram levando dinheiro da agência. O valor roubado não foi revelado
pelo banco estatal. O segurança Josias Gomes, de 36 anos, funcionário de uma
empresa terceirizada que presta serviços ao Banpará, foi ferido na parte
lateral das costas, na altura do quadril. Ele foi atendido em um hospital local
e passava bem. 

Na fuga, além de seus veículos, os
criminosos usaram também o carro do gerente da agência do banco. O carro foi
abandonado e localizado pelos policiais horas depois, e um dos veículos usados
pelos bandidos foi queimado em cima de uma ponte localizada entre Bragança e
Viseu, para atrapalhar a perseguição dos policiais ao bando. Antes de entrarem
em um ramal, houve troca de tiros com policiais militares de Bragança e, apesar
do confronto, os bandidos conseguiram fugir.


Os reféns foram achados em área de mata
às margens do um ramal de terra na zona rural de Viseu. Todos estavam muito
abatidos e assustados quando resgatados após ficarem horas sob a mira dos
bandidos. Em nota, o Banpará informou que “prestava total assistência aos
colaboradores terceirizados e aos funcionários em casos de assalto, consumados
ou não, bem como garante o acompanhamento médico e psicológico, além de liberar
os eventuais vitimados da jornada de trabalho para a realização de tratamentos
de saúde durante os dias necessários”. 
Fonte: Portal ORM