O preço
da gasolina voltou
a abaixar nas bombas do país. Segundo a Agência
Nacional do Petróleo (ANP)
, foi o oitavo recuo consecutivo,
apesar da alta no valor do combustível nas refinarias. Em média, o litro ficou
em 4,365 reais na semana passada, ante 4,402 reais no período anterior. 
A queda
foi registrada em 24 estados e no Distrito Federal. Apenas em Goiás e no Amapá
foram registradas altas no combustível.
 
Na semana
passada, a Petrobras subiu o preço da gasolina em cerca de 4% nas refinarias.
As alterações são parte da política da companhia, que faz reajustes conforme a
cotação do petróleo e do dólar. O repasse dos reajustes nas refinarias ao
consumidor final depende dos postos. 
Em
São Paulo, o litro da gasolina baixou 0,93% na semana passada, de 4,187 reais
para 4,148 reais, em média.
 
O etanol também
registrou queda em postos de dezoito estados brasileiros e no Distrito
Federal. O combustível ficou 0,46% mais barato na semana passada, com preço
médio de 2,821 reais. Em São Paulo, o etanol caiu 0,75% em relação à
semana anterior, de 2,650 reais para 2,630 reais o litro. 
Competitividade
Com
a queda no preço da gasolina, vale mais a pena abastecer com esse combustível
do que com o etanol em 21 estados, que é vantajoso em Goiás, Mato Grosso, Minas
Gerais, Paraíba, Paraná e São Paulo. 
Por
ter menos poder calorífico, a ANP considera que o etanol é a melhor opção se
ele custar menos que 70% do valor da gasolina.
 
Para
saber como escolher, o consumidor deve dividir o valor do etanol pelo da
gasolina. Se o resultado for inferior a 0,7, vale o etanol. Se for maior, a
gasolina é a opção com custo-benefício melhor. 
O preço do gás de cozinha
também caiu. A média passou de 69,53 reais na semana anterior para 69,21 reais
— uma queda de 0,46%. No ano, o preço médio do botijão subiu, até hoje, menos
do que a inflação esperada para 2018 inteiro. A alta acumulada é de 2,6%.
Fonte: Revista Veja