Marabá
27°C
Scattered clouds

Polícia prende acusado da morte de empresário em Marabá

Empresário foi executado com tiros na nuca em hotel da cidade em 2019
Raul Wolf foi morto a mando do sócio em Marabá | Foto: Reprodução/WhatsApp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A Polícia Civil prendeu o empresário José Mário Prestes, na sexta-feira (14), na cidade de Tucumã, sul do Pará, acusado de mandar matar o sócio Raul Alberto Wolf, de 48 anos, em novembro de 2019, na garagem de um hotel, no Núcleo Cidade Nova, em Marabá, no sudeste do Pará.

Raul Wolf foi executado por dois pistoleiros ao sair do quarto em que estava hospedado. José Prestes foi preso no âmbito da “Operação Gambit”. Na posse do suspeito, a PC apreendeu arma de fogo e munições, documentos, celulares, computadores e outros objetos. Os assassinos ainda não foram identificados.

Os policiais cumpriram mandado de busca e apreensão na Construtora e Britagem Milanos. O acusado foi preso em casa, por meio de um trabalho conjunto de investigação da Divisão de Homicídios da 21ª Seccional Urbana de Marabá, Delegacia de Conflitos Agrários (Deca); 20ª Seccional Urbana de Parauapebas e Delegacia de Polícia Civil de Redenção. Prestes não ofereceu resistência no momento da prisão.

Vítima foi executada na garagem de hotel em Marabá | Foto: Reprodução/WhatsApp

Na tarde de quinta-feira (13), o Portal Debate Carajás publicou a matéria “Disque Denúncia oferece recompensa para encontrar assassino de empresário em Marabá”, solicitando à população para ajudar a Polícia Civil a encontrar os envolvidos na morte do pai de família. A gratificação era de R$ 1 mil para quem indicasse o paradeiro dos pistoleiros de aluguel. No momento da execução, a dupla estava em uma moto.

A vítima era natural da cidade de Teutônia, região central do Rio Grande do Sul, onde foi sepultada, mas morava em Tucumã, no sul do Pará. Raul era empresário da área de extração de brita (pedra muito utilizada nas obras da construção civil) e constantemente se hospedava em Marabá.

De acordo amigos, ele era calmo e não bebia. Na época do crime, a vítima estaria trabalhando na Vila de Cajazeiras, zona rural de Itupiranga, próximo a Marabá. O sócio, José Prestes, não confessou os motivos para matar o companheiro de negócios. (Pedro Souza/Debate Carajás)

Raul Wolf foi executado a sangue frio por dupla contratada pelo próprio sócio | Foto: Reprodução/WhatsApp

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!