Marabá
26°C
Scattered clouds

Polícia prende ex-deputada Flordelis no Rio de Janeiro

Ex-deputada é acusada de participação na morte do marido. A pastora nega ter mandado executar o pastor Anderson do Carmo.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A ex-deputada federal Flordelis foi presa nesta sexta-feira (13), em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A pastora estava em casa e foi comunicada sobre a prisão por policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Niterói, que está à frente das investigações desde junho de 2019.

A prisão da ex-parlamentar aconteceu após um mandado expedido pela juíza Nearis dos Santos, da 3° Vara Criminal de Niterói. A justiça fluminense aceitou o pedido de prisão feito pelo Ministério Público do Rio nesta sexta-feira (13). No documento, o MP cita que a prisão seria para corrigir a desproporcionalidade entre as medidas cautelares e a conduta de Flordelis.

Com a perda do mandato de parlamentar, a situação jurídica da ré deve ser revista, para sanar a desproporcionalidade que havia entre as medidas cautelares impostas e os fatos imputados e as condutas que a ré praticou para interferir na instrução e se furtar no momento da aplicação da lei penal”, diz o pedido encaminhado à 3ª Vara Criminal de Niterói.

No documento o MP também cita que, por diversas vezes, Flordelis tentou manipular as testemunhas do processo que investiga a morte de Anderson do Carmo.

“Ela também providenciou treinamento a réus e testemunhas que foram intimadas para prestarem depoimento em sede policial, solicitando que testemunhas mentissem à polícia e alterassem versões já fornecidas, assim como, por repetidas vezes, descumpriu a medida cautelar de monitoramento eletrônico”, diz o MP.

Flordelis e mais 10 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público pelo assassinato, em 2019, de Anderson do Carmo de Souza, então marido da parlamentar. Na época, Flordelis não teve sua prisão pedida por deter imunidade parlamentar. Na última quarta-feira (11/08), no entanto, a Câmara dos Deputados cassou seu mandato por quebra de decoro.

Nesta sexta-feira (13), a defesa da ex-deputada federal ingressou com pedido de habeas corpus no STJ, para que a juíza da 3° Vara Criminal de Niterói não pudesse mover o processo. Os advogados de Flordelis questionam a imparcialidade da magistrada. Em junho desse ano, após o pedido da defesa, a própria juíza Nearis dos Santos rejeitou a suspeição para julgar o caso.

CNN entrou em contato com a defesa de Flordelis e aguarda a resposta. (CNN – Brasil)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!