A Polícia Civil e a Polícia Militar prenderam, durante a manhã de hoje (16), 9 acusados da morte do radialista Jairo Sousa, ocorrida em
Bragança, nordeste paraense. Após a detenção,
eles foram conduzidos para o prédio da Unidade Integrada da Polícia, na cidade
localizada na “Região Bragantina”, no estado do Pará.
 Na época, o crime chocou a população da cidade de um pouco mais de 120 mil habitantes.
Jairo Sousa era conhecido por fazer denúncias de
irregularidades e desvios de recursos públicos, envolvendo prefeituras,
vereadores, empresas e autoridades ligadas a processos licitatórios de forma
irregular. O locutor de rádio
tinha 43 anos de idade e foi executado
a tiros, no dia 21/6/2018, às 5 horas da manhã, em frente ao Residencial Nunes
Bastos, na cidade de Bragança (PA), localizada a 210 km da capital Belém.
 
Os disparos partiram do
“garupa” de uma moto, quando Jairo Sousa chegava para trabalhar na Rádio Pérola
FM.
Segundo a Divisão de Homicídios, a operação para capturar os acusados
contou com cerca de 50 policiais militares, sob a coordenação da Polícia Civil
do Pará. Ao todo, nove mandados de prisão foram expedidos pela justiça e cumpridos
pela polícia. Os nomes dos presos serão divulgados em uma coletiva de imprensa,
hoje, à tarde, em Belém.