Marabá
26°C
Overcast clouds

Polícia frustra resgate de envolvido na chacina de Parauapebas

Marcone seria resgatado de dentro do hospital por um grupo armado ligado a uma facção criminosa
Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Suspeito de comandar uma chacina que resultou em cinco mortes em Parauapebas, Marcone de Jesus da Silva chegou à cidade na noite desta quarta-feira (22). Ele foi preso um dia antes na cidade de Colinas, no estado do Tocantins. Chegando à Capital do Minério, o preso passou mal e precisou ser encaminhado a um hospital.

A Polícia Civil descobriu que Marcone teria passado quatro dias sem se alimentar, premeditando um possível “plano B”, em caso de ser pego antes de sair do Brasil. A facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) teria arquitetado um plano de resgate do suspeito dentro do hospital em Parauapebas, mas a ação criminosa foi interceptada.

O criminoso, considerado perigoso pela polícia, foi transferido para a Cadeia Pública de Parauapebas na madrugada desta quinta-feira (23). Diante das informações do suposto resgate de Marcone, o superintendente regional de Polícia Civil, delegado Thiago Carneiro, se deslocou de Marabá para Parauapebas para acompanhar a transferência do preso. A Guarda Municipal de Parauapebas (GMP) está ajudando na segurança do local. (Portal Debate Carajás)

Marcone de Jesus da Silva seria integrante do PCC | Foto: Reprodução

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!