Marabá
31°C
Overcast clouds

Polícia Federal prende “Caçador de Relíquias” por vender materiais arqueológicos do Acre na internet

Na casa do suspeito, foram achadas diversas garrafas históricas — Foto: Asscom/PF-AC
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Um homem, que se autointitula “caçador de relíquias” foi preso pela Polícia Federal nesta terça-feira (5) em Rio Branco por vender material arqueológico na internet. De acordo com a PF, o homem retirava os materiais arqueológicos sem autorização no Rio Acre e vendia de forma ilegal.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) informou que “o material se tratava de garrafas de Stoneware (Grés) do século XIX, além de garrafas de vidro provenientes da Holanda, Irlanda, Inglaterra e Portugal, são garrafas de diversos tamanhos e tipologia, que chegaram na região na época da Revolução Acreana e, sobretudo, durante os Ciclos da Borracha, possuindo, portanto mais de 100 anos e, consequentemente, um grande valor histórico.”

O delegado da PF Maurício Rocha falou à CBN Rio Branco que ainda não é possível precisar a quantidade do material histórico apreendido, mas garantiu que um vasto material foi encontrado na casa do suspeito.

Artigos históricos foram achados na casa do homem  — Foto: Asscom/PF-AC
Artigos históricos foram achados na casa do homem — Foto: Asscom/PF-AC

“Até agora não tem condições de individualizar, mas foram sete caixas contendo aproximadamente 50 garrafas em cada caixa, então é um vasto material a ser catalogado pelo Iphan. Agora, o Iphan vai individualizar e catalogar e aí gente vai ter uma noção precisa daquilo que esse cidadão tinha em posse para ser comercializado”, disse.

Rocha disse ainda que esse tipo de crime tem sido comum no Acre por ser uma região que contém muito material histórico de fácil acesso.

“A cultura brasileira não tem essa preocupação em preservar esses material arqueológicos, paleontológicos, materiais históricos em si, então, por isso que não é muito comum [o crime], mas nessa região do Acre temos muitos sítios arqueológicos, uma vasta área a ser preservada, que possui esse material, então a incidência aqui é maior. O Acre tem precedentes de combate a esse tipo de delito”, destacou.

Material arqueológico foi apreendido na casa do suspeito  — Foto: Asscom/PF-AC
Material arqueológico foi apreendido na casa do suspeito — Foto: Asscom/PF-AC

O homem deve responder por crimes ambientais por alterar o local protegido por lei em razão de seu valor arqueológico e por estelionato porque vendia os materiais como se fossem dele. A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão, onde foi localizado grande parte do material arqueológico, que foi encaminhado ao Iphan.

A PF disse que as investigações continuarão em andamento para identificar outros envolvidos no esquema de comercialização ilegal de relíquias arqueológicas.

Material apreendido será levado ao Iphan  — Foto: Asscom/PF-AC
Material apreendido será levado ao Iphan — Foto: Asscom/PF-AC

‘Elona’

O nome da operação faz referência a um mosteiro na Grécia, que em meados do século XIX, ladrões retiraram materiais arqueológicos e relíquias sagradas do mosteiro.

Fonte: G1 Acre

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!