Marabá
30°C
Clear sky

Perícia: Bala no corpo de menino morto em tiroteio não veio da PM

Keyvison de Freitas Lima, de 11 anos, morreu enquanto pedalava de bicicleta no último domingo (25), no bairro do Barreiro, em Belém
Keyvison de Freitas foi atingido ao andar de bicicleta - Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O projétil encontrado no corpo de Keyvison de Freitas Lima, 11 anos, que morreu ao ser baleado enquanto andava de bicicleta no último domingo (25), no bairro do Barreiro, em Belém, é de calibre 32 de chumbo ogival.

Segundo o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC), isso significa que o tiro que atingiu a criança não é de arma usada por órgãos de segurança pública. A análise pericial é essencial para as investigações da Polícia Civil, sobretudo para identificar o autor dos disparos.

O perito criminal Celso Mascarenhas, diretor-geral do CPCRC, explicou que a perícia criminal será determinante para a resolução do caso.

“A análise apontou que o material não é compatível às pistolas ponto 40, que são armas oficiais usadas pela polícia, mas correspondia à munição de revólver calibre 32, e que poderia ser até de uma arma artesanal”, afirmou.

Para Ualame Machado, titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), a perícia fornece um importante avanço às investigações.

“Foi um trabalho de forma célere, que identificou que o projétil não partiu do policial militar. Mas isso é apenas uma etapa do trabalho que será realizado. O trabalho da perícia reforça a primeira afirmação do policial envolvido, de que ele não teria sequer atirado”, declarou o secretário.

De acordo com o titular da Segup, a celeridade nas investigações deve continuar, para que os suspeitos possam ser identificados e presos. “Todo sistema de segurança está empenhado para que a gente, muito brevemente, explique e elucide todas as circunstâncias do ocorrido”, acrescentou Ualame Machado.

Divulgação
Perícia criminal será determinante para a resolução do caso (Divulgação)

O caso

Uma criança de apenas 11 anos morreu ao ser baleada enquanto andava de bicicleta no bairro do Barreiro, em Belém, no último domingo (25). O menino Keyvison de Freitas Lima foi ferido enquanto pedalava na passagem Caju. Mesmo sendo levado ao hospital, ele não resistiu aos ferimentos.

De acordo com informações de Luciano Senna, líder comunitário do Barreiro e coordenador de um projeto social que a criança participava, o menino era morador da passagem Fé em Deus, no mesmo bairro.

Na noite de domingo, por volta das 21h30, ele andava de bicicleta próximo à passagem Umarizal. Em certo momento, um intenso tiroteio começou e o menino acabou sendo atingido nas costas, na altura dos rins.

Informações iniciais dão conta de que o tiroteio foi durante uma perseguição da polícia militar a dois suspeitos em uma motocicleta. Levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sacramenta, Keyvison morreu ao chegar no hospital. Nas redes sociais, amigos e moradores da região lamentaram a morte do menino. (O Liberal)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!