Marabá
23°C
Scattered clouds

Pastor Davi é eleito prefeito de Goianésia com 52,79% dos votos

Em segundo lugar ficou Russinho (Solidariedade), com 45,42% dos votos válidos. A candidata Gilmara Paulucio Lacerda (Cidadania) teve 1,52% dos votos, e Acácio Barros (Patriota) teve 0,27%. A abstenção foi de quase um quarto dos eleitores
Pastor Dani ao centro durante caminhada | Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais de 15 mil eleitores do município de Goianésia do Pará, no sudeste do estado, foram às urnas neste domingo (3) para escolher o novo prefeito da cidade. O candidato Pastor Davi (MDB) foi o eleito na eleição suplementar, com 52,79% dos votos válidos, de acordo com os números do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA). O político era presidente da Câmara e assumiu como prefeito interino em março, com a cassação do registro de Itamar Cardoso (Avante), eleito em 2020.

Em segundo lugar ficou Russinho (Solidariedade), com 45,42% dos votos válidos. A candidata Gilmara Paulucio Lacerda (Cidadania) teve 1,52% dos votos, e Acácio Barros (Patriota) teve 0,27%. A abstenção foi de quase um quarto dos eleitores, ainda de acordo com o TRE.

As eleições suplementares foram determinadas em Goianésia do Pará em março deste ano, após o TRE indeferir o registro da candidatura de Itamar Cardoso do Nascimento (Avante), ao cargo de prefeito, por ele estar inelegível por oito anos.

Segundo o TRE, nenhuma ocorrência foi registrada durante a eleição neste domingo. A votação ocorreu em 20 locais de votação, sendo sete na área rural e 13 em área urbana.

O novo vice-prefeito é Welliton Ferreira Orbano, quem tem 34 anos.

Além de Goianésia do Pará, outra cidade que deve ter eleição suplementar é Tomé Açu, em 7 de novembro. (Portal Debate Carajás, com G1 Pará)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!