Com 52,09% de adesão ao distanciamento social temporário, o Pará chegou à quinta posição no ranking nacional. Essa colocação é avaliada diariamente. Em nível local, o levantamento é feito pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).

O ideal é 70% de adesão, para que as medidas de contenção e prevenção da circulação do coronavírus sars-cov-2 — causador da covid-19 — sejam realmente eficientes.

Se com esse índice o Pará está em quinta posição, o resto do país está cada vez menos empenhado na distanciamento social temporário. É importante de lembrar que é temporário e que vai passar. O quanto antes e quanto mais a população a população ajudar ficando em casa e se precavendo, o máximo possível, quando for realmente necessário sair, mais cedo essas medidas serão menos necessárias.

Essa última análise da Segup corresponde a esta sexta-feira, um dia de estatísticas trágicas da covid-19 no Pará. Foi no mesmo dia em que 33 mortes foram registradas e 317 casos novos foram confirmados. E no mesmo dia em que a capacidade de atendimento de urgência e emergência do estado chegou a um ponto tão crítico de esgotamento que o sistema funerário está próximo de colapsar.

“O Pará, por mais de uma semana, figura entre os dez estados da federação com o melhor índice de isolamento social, variando entre dias de semana e finais de semana. Nos finais de semana, temos conseguido registrar índices acima de 60% de isolamento social, destacando que o exigido pelas organizações de saúde é de 70%, o que demostra a nossa evolução. Ressaltamos a necessidade de atingir esses 70% que foi um percentual nunca alcançado pela população do estado”, avaliou o titular da Segup, Ualame Machado.

Pelo levantamento, os três melhores índices de distanciamento foram em Tracuateua (84,8%), Magalhães Barata (68,3%) e Santa Luzia do Pará (68,2%). Os municípios com piores índices são Abel Figueiredo (35,9%), Conceição do Araguaia (38,2%) e Santana do Araguaia (38,5%).

Nos municípios de Marabá, Santarém e Breves, onde a população já conta ou contará com Hospitais de Campanha para receber pacientes de covid-19, a taxa de isolamento esteve, na sexta-feira (24), com 45,1%, 43,3% e 54,9%, respectivamente.

Em Belém, incluindo os distritos, os bairros com as maiores taxas de concentração em casa foram: Cabanagem (75,6%), Una (70,8%) e Castanheira (68,9%). Já os bairros onde as pessoas desobedeceram à recomendação de ficar em casa, registrando um baixo índice de isolamento, foram Brasília (40,3%), Pratinha (37,1%) e São João do Outeiro (32,8%). O índice geral da capital foi de 54,1% de adesão.

Em Ananindeua, os melhores índices foram registrados nos bairros do Coqueiro (75%), Águas Brancas (74,3%) e Atalaia (69,3%). Os piores índices foram observados nos bairros Júlia Seffer (42%), Curuçambá (48,8%) e Guanabara (48,8%). O total de adesão do município foi 58,8%.

O Liberal