Marabá
35°C
Clear sky

Pai e filho são executados a tiros e golpes de faca no sudeste do Pará

Nilton Gomes da Silva, de 55 anos, e o filho, Adenilton Almeida da Silva, de 18, foram vítimas de homens armados que invadiram a residência, no distrito de Vitória da Conquista
Adenilton Silva (à esquerda) e Nilton Silva (à direita) não resistiram aos ferimentos e morreram - (Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Um duplo homicídio assustou os moradores de Novo Repartimento, no sudeste do Pará, na última quarta-feira (19). Nilton Gomes da Silva, de 55 anos, e o filho, Adenilton Almeida da Silva, de 18, foram executados com tiros de escopeta e golpes de arma branca, no distrito de Vitória da Conquista, zona rural do município. Um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil para investigar o crime. Ninguém foi preso.

A polícia informou que as vítimas foram assassinadas por volta das 7h. Os dois estavam em casa, na rua 13 de Maio, na companhia da namorada de Adenilton. A moça contou que dois ou três homens arrombaram a porta da casa e fizeram vários disparos de arma de fogo contra Nilton Gomes, que estava sentado no sofá da sala.

Em seguida, os criminosos foram ao quarto do jovem e o esfaquearam. Ele ainda conseguiu sair da residência e correr até o quintal da casa, mas foi alcançado pelos atiradores e executado. A namorada de Adenilton não sofreu violência dos bandidos, que fugiram do local e, até o momento desta publicação, ainda não foram identificados.

Os crimes, de acordo com a polícia, podem ter relação com acerto de contas proveniente de tráfico de drogas. A suspeita partiu de um filho de Nilton Gomes, que preferiu não se identificar. Segundo ele, é provável que o alvo principal dos executores fosse Adenilton, que era dependente químico, praticava pequenos delitos e acumulava passagens pela polícia.

A polícia pede que qualquer informação que possa ajudar na identificação e localização dos suspeitos seja repassada às autoridades pelo Disque-Denúncia (181ou Centro Integrado de Operações (190). Não é necessário se identificar e a ligação é gratuita.

Fonte: O Liberal

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!