Marabá
30°C
Clear sky

Padre de Parauapebas revela que venceu a depressão com bom humor

Patrick Fernandes falou sobre a ascensão nas redes sociais e de como utiliza o humor para evangelizar
O padre Patrick Fernandes | Foto: Reprodução/Instagram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Em menos de um mês, o padre Patrick – como é conhecido nas redes sociais – viveu um boom de crescimento no número de usuários em suas contas nas redes sociais (só no Instagram são 2,5 milhões) e se transformou num ícone da internet. Ele faz o maior sucesso respondendo a “caixinha de perguntas” da rede social, e recebe as perguntas e respostas mais inusitadas com muito bom humor. As questões mais frequentes são referentes a casamento, comportamento e família.

Os vídeos do padre tem dado muito certo, tanto que o padre virou a sensação da internet no último mês. Em menos de 30 dias, o religioso ganhou mais de 2 milhões de seguidores no Instagram. Já no TikTok, alcançou a marca de 1,1 milhão. “Antes o padre era visto como uma pessoa longe, fora do alcance, eu quero mostrar para as pessoas que o padre não é isso, ele está perto das pessoas, é uma pessoa comum”, completa.

Nesta sexta-feira (13), ele participou de uma live nas redes sociais de oliberal e, literalmente, a live bombou. Até o Padre Fábio de Mello assistiu. Reveja:

O religioso é o queridinho de alguns famosos que passaram a segui-lo, como a ex-BBB Juliette e o humorista Fábio Portugal.

Durante a entrevista, o padre Patrick Fernandes falou como encara a fama na internet e concilia seus trabalhos paroquiais, explicou ainda que por vezes precisa se esquivar de algumas perguntas.

“Às vezes chega uma pergunta assim: padre você é virgem? Eu respondo: não gente, meu signo é áries”, brinca o pároco. Para finalizar o padre falou dos cuidados com a internet e dos projetos futuros, confira.

Um pouco de sua história 

O pároco é capixaba, veio para o Pará ainda aos oito anos, com a família, para a cidade de Marabá, sudeste do estado. Morou também na capital paraense de 2009 a 2012, quando se formou em Teologia pela Faculdade Católica de Belém. Há oito anos, foi ordenado padre na cidade de Marabá. Hoje, mora em Parauapebas e atua na Paróquia São Sebastião.

Durante a entrevista, o religioso confessou que em 2019 passou por uma depressão, o estado de saúde se agravou durante a pandemia, foi quando descobriu na internet um refúgio e uma forma leve de evangelizar e levar o bom humor às pessoas. “Eu demorei a pedir ajuda, eu deixei de comer de dormir… quando entendi que eu precisava de ajuda, fui atrás de psicóloga de remédios… eu não aceitava a minha situação, quando resolvi me tratar estávamos em pandemia, não tinham missas, nem pessoas para conversar, aí eu comecei a gravar vídeos para as pessoas da minha paróquia”. (Com O Liberal)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!