Marabá
27°C
Scattered clouds

Vítima de acidente com torre de transmissão recebe alta no Pará

Waldemir Nascimento, de 25 anos, foi uma das quatro vítimas que ficaram em estado grave após a queda da estrutura de cerca de 30 metros. Sete pessoas morreram e outras 12 ficaram feridas
Waldemir Nascimento comemora a volta para casa (Divulgação)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O último paciente do acidente com uma torre de transmissão de energia elétrica ocorrido no último mês de julho, entre os municípios de Anapu e Pacajá, sudeste do Pará, recebeu alta na tarde de quinta-feira (12), após 28 dias de internação no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira.

Waldemir Nascimento, de 25 anos, foi uma das quatro vítimas que ficaram em estado grave após a queda da estrutura de cerca de 30 metros. Sete pessoas morreram e outras 12 ficaram feridas, no oeste do Pará.

“Eu nasci de novo”. Foi com essa frase que o jovem Waldemir Nascimento celebrou sua volta para casa. Ele contou que não lembra como o acidente aconteceu e que tudo foi muito rápido. “Sonhei que meu filho me chamava e acordei. Aí que me dei conta de que estava no hospital. Graças a Deus agora posso voltar para casa e encontrar minha família”, comemorou.

Waldemir deu entrada no hospital no dia 16 de julho, com politraumatismo, fraturas nas pernas e outras complicações, tudo em decorrência da queda de cerca de 30 metros de uma das torres. Por conta da seriedade dos ferimentos, o quadro de saúde do paciente foi considerado gravíssimo.

Durante a internação, ele chegou a ser intubado e permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital por cinco dias. Com melhora significativa, ele foi transferido para a clínica cirúrgica do HRPT, até receber alta nesta terça.

Segundo a fisioterapeuta Elays Marinho, apesar da gravidade da queda, as funções articulares das pernas do paciente não foram prejudicadas e em breve ele andará novamente. “Ele vai para casa com funcionalidade e saúde, mas claro, precisando de reabilitação terapêutica para restabelecer a função motora”, explicou.

Relembre o caso

Uma torre de transmissão de energia elétrica que estava sendo construída entre os municípios de Anapu e Pacajá despencou com dezenas de trabalhadores, na tarde de sexta-feira, 6 de julho. Sete pessoas morreram e outras 12 ficaram feridas, sendo quatro em estado grave.

A estrutura ainda não estava energizada quando o acidente aconteceu, o que pode ter evitado que mais pessoas perdessem a vida.

No momento da queda, havia mais de 20 pessoas trabalhando na torre. Cinco vítimas morreram na hora do acidente. A sexta vítima fatal ainda chegou a ser socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal de Pacajá, mas morreu ao dar entrada na unidade de saúde.

Já os 13 feridos foram levados para o mesmo hospital e, depois, três deles foram transferidos, em estado grave, para o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, e um para o Hospital Regional de Tucuruí (HRT).

Uma das vítimas que estava sendo transferida para o HRPT morreu durante o trajeto, aumentando o número de mortos para sete. (O Liberal)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!