Operação Madeira e Lei foi deflagrada na madrugada dessa terça-feira (18) Foto: Divulgação/PC/PA

A Polícia Civil de Marabá, Abel Figueiredo e Rondon do Pará deflagrou, nessa terça-feira (18), a Operação Madeira e Lei, que objetiva apurar a origem, o percurso e o destino de madeiras extraídas ilegalmente de uma reserva de domínio público no município de Abel Figueiredo.

Ibama também participou ativamente da operação

Várias viaturas policiais e de agentes de fiscalização do Ibama tomaram simultaneamente a área de mata localizada na zona rural de Abel Figueiredo e o pátio da Indústria e Comércio de Madeira Moria Eireli, no município de Rondon do Pará.

Durante a ação, foram apreendidos três tratores de esteiras, duas carregadeiras, dois caminhões, cinco motosserras, muitos tipos de madeiras, espingardas, munições e outros objetos. A operação resultou na prisão em flagrante de André de Jesus dos Santos, Carlos Barros, Edivaldo Barbosa Santos, Francinei Lopes da Silva, José Nilson Felizardo dos Santos, Lorisvaldo Lopes dos Santos, Manoel Messias Vitorio Gonçalves, Roberto da Rocha e Wesley da Silva e Silva. Além disso, a diligência deu esclarecimentos acerca de quem seriam os responsáveis pelo gerenciamento da ação criminosa.

Nove pessoas foram presas por extração ilegal de madeira na região

Mais que as sanções penais, a empresa e seus sócios sofrerão consequências administrativas. O Ibama permanece no pátio da Moria, que teve suas atividades paralisadas para a medição de toda a madeira ilegal adquirida pela pessoa jurídica. Além disso, análises a partir de imagens de satélites serão utilizadas para o cálculo da área devastada e, consequentemente, da multa a ser aplicada, cujo valor é de R$ 5 mil por hectare devastado.

A operação foi coordenada pelo delegado Élcio Fideles de Deus, da Polícia Civil de Marabá.

Com informações da Polícia Civil do Pará