“Para morrer, basta está vivo”. A máxima deste ditado popular atingiu Erasmo dos Santos Oliveira, 43 anos, por volta de 11 horas da manhã de hoje (9). De acordo com familiares, ele faleceu no Hospital Municipal de Marabá, vítima de trombose e aneurisma cerebral. A morte repentina do marabaense chocou amigos e familiares.

Na manhã de terça-feira (7), “Erasmo”, como era conhecido, abriu seu Lava Jato, localizado na Avenida Tocantins, bairro Novo Horizonte, disposto e bem de saúde, para iniciar mais um dia de trabalho. No entanto, começou a sentir dores pelo corpo de forma repentina. No mesmo dia, Erasmo foi conduzido para o HMM, onde a doença foi diagnosticada e já ficou internado.

Segundo a esposa, a médica que o atendeu, solicitou a transferência imediata do paciente para o Hospital Regional do Sul e Sudeste do Pará, devido à gravidade do quadro de saúde dele. Como não havia leito disponível, Erasmo Oliveira ficou aguardando a liberação da internação, mas não resistiu e faleceu no final da manhã de hoje, após uma parada respiratória.

O corpo está sendo velado na Igreja Assembleia de Deus, localizada na Rua Das Castanheiras, bairro Novo Horizonte. Centenas de amigos, colegas de trabalho e pessoas da família estão comparecendo ao velório para se despedir de uma pessoa bastante querida na comunidade. Erasmo Oliveira deixa esposa e filhos. O sepultamento está marcado para amanhã.