Marabá
26°C
Scattered clouds

Músicos de Marabá refundam associação histórica e elegem representantes

Na assembleia, foi realizada a eleição para o biênio 2021/2023 com chapa única, eleita por aclamação. Membros posaram para click do Debate ao término do evento | Foto: Vinícius Soares
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Prova de que a união faz a força está na refundação da histórica Associação dos Músicos e Artistas do Sul e Sudeste do Pará (Amasp) em assembleia ocorrida na manhã de sábado, 17 de abril. O evento teve espaço no Locomotiva Bar, na Folha 27, Núcleo Nova Marabá, e cumpriu os protocolos sanitários de combate à pandemia da covid-19. Uma diretoria executiva, um conselho diretor e um conselho fiscal foram eleitos por aclamação com a presença de representantes políticos para o biênio 2021/2023.

A associação foi fundada originalmente em 1998 pela ativista cultural Deize Almeida Botelho e pelo músico Javier Di Mayabá. 22 anos depois, ressurge como uma força capaz de unir uma das categorias mais afetadas pelas restrições na pandemia. Detalhe: com o reconhecimento da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) como Ponto de Cultura do Pará.

Estiveram presentes à assembleia de refundação os cantores Beto Lima, Dedê Alves, Diego Carvalho, Lynda Sousa, Lu Barros, Edgar Oliveira, André Abreu, Kall Rodrigues e Jaquison Costa, além de produtores de áudio e vídeo, como Val André e Rodrigo. Como assessora jurídica, esteve a advogada Letícia Collinetti Fiorin. Também tomaram parte do evento o vereador Eloi Ribeiro (Republicanos) e representantes dos vereadores Pedro Corrêa Lima (DEM) e Elza Abussafi Miranda (PTB).

Na assembleia, foi realizada a eleição para o biênio 2021/2023 com chapa única, eleita por aclamação. Segundo levantamento da Amasp, o número de associados deve aumentar nos próximos meses, podendo chegar a 300 músicos de toda a região. Nas palavras do presidente eleito, o cantor e empresário Diego Carvalho, o Diegão, a maioria dos músicos que vivem diretamente da arte foi afetada com a pandemia da covid-19. Diante disso, é necessário organizar e realizar um cadastramento dos profissionais que trabalham exclusivamente com a música em toda a região, de modo que sejam tomadas medidas rápidas e eficazes para assistência desses artistas.

Entre os eleitos na Amasp, a cantora Lu Barros destacou que a associação vem para ficar, valorizando os talentos regionais. A agremiação recebeu mensagens de apoio dos vereadores Marcelo Alves (PT), Ilker Moraes (MDB) e Frank do Jardim União (Solidariedade), que não compareceram à assembleia de refundação nem enviaram representantes, mas se comprometeram a destinar recursos por meio de emendas impositivas no próximo ano.

O encontro foi encerrado com a assinatura da ata de posse dos membros da Comissão Diretiva da Amasp (confira ao fim desta matéria). Houve café da manhã aos presentes, seguindo as recomendações de distanciamento social.

Saiba mais

A Associação dos Músicos e Artistas do Sul e Sudeste do Pará (Amasp) foi criada em 1998, sediada no Galpão de Artes de Marabá (GAM). Desde sua criação, promoveu a realização de projetos culturais de formação, produção e circulação na área musical, integrando mais de 200 artistas associados, vinculados à cadeia produtiva da música; articulou parcerias com empresas e instituições em prol da geração de renda e abertura de campo de trabalho para os músicos; abriu o diálogo com gestores municipais com foco no desenvolvimento de políticas públicas de cultura, promovendo mudanças qualitativas na concepção dos festivais de música de Marabá e de eventos realizados pela prefeitura.

A Amasp também esteve fortemente presente na Feira de Indústria, Comércio, Cultura e Arte (Ficam) e na Exposição Agropecuária de Marabá (Expoama), gerenciando apresentações de músicos locais, por meio de parceria realizada com Associação Comercial e Industrial de Marabá (Acim) e Sindicato dos Produtores Rurais de Marabá.

Em 2020, a Amasp foi reconhecida pelo Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), como Ponto de Cultura do Pará, passando a integrar a Rede de Pontos de Cultura do Brasil. Seguidamente, a Amasp foi reconhecida pela Rede de Pontos de Cultura do Pará, nomeada Rede Ajuricaba.

Confira os eleitos na assembleia de refundação de sábado:

Diretoria Executiva

Presidente: Diego Silva Carvalho (Diegão)
Vice-presidente: Lidynês Sousa da Silva (Lynda Sousa)
Primeiro-secretário: Gilsimar da Silva Oliveira (Edgar Oliveira)
Segundo-secretário: Rogério Gomes dos Santos
Primeiro-tesoureiro: Lourdes Brito Barros (Lu Barros)
Segundo-tesoureiro: Jorge André Abreu de Sousa

Conselho Diretor

Presidente: Rodrigo Lopes Rodrigues (Cobra CDs)
Vice-presidente: Kalbert de Sousa Rodrigues

Conselho Fiscal

Efetivos:

1 – Val André Botelho
2 – Adeilson Alves Martins

Suplentes:

1 – Caros Roberto de Oliveira Lima (Beto Lima)
2 – Jaquison Costa

(Vinícius Soares/Debate Carajás)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!