Maria Jeane Costa Pinheiro confessou ter matado José Carlos Catanhede Rocha. Na final da tarde desta quinta-feira (7), ela se apresentou à Delegacia de Polícia Civil de Itaituba. A mulher, conhecida por “Cris”, já tinha um mandando de prisão temporária contra ela. Estava foragida desde o dia 25 de abril, quando cometeu o crime. Já foi ouvida, autuada por homicídio e presa.

À época, Maria Jeane já havia sido identificada como a principal suspeita do crime. Tudo começou e terminou em uma área de garimpo, na comunidade Cuiú-Cuiú, em Itaituba. Ela e José Carlos, (que era mais conhecido pelo apelido “Negão Barbicha”, tiveram uma discussão intensa. Os ânimos se alteraram muito e houve luta corporal. A mulher estava com uma arma — não há informações ainda se a arma foi apreendida e como ela conseguiu — e atirou contra a vítima.

“Negão Barbicha” foi executado no meio da rua

A discussão, a briga e o assassinato — foram cinco tiros — ocorreram em via pública, aproximadamente às 20h30. Maria Jeane, até então, era identificada como “Cris Rocha”, mas explicou tudo sobre o apelido. Acreditava-se até que poderiam ter algum parentesco, fosse familiar direto ou conjugal. Nada disso se confirmou. Os detalhes sobre a discussão também não foram informados pela Polícia Civil.

O Liberal