Marabá
31°C
Clear sky

Mulher fica em estado vegetativo após contrair covid-19

Thaynara não consegue mais andar, falar ou se alimentar sozinha. A família da jovem, agora, batalha para conseguir adaptar um quarto da casa onde eles moram para trazer o mínimo de condições para a sobrevivência da paciente
Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Natural do Distrito Federal, Thaynara Ferreira, 26 anos, deixava um rastro de alegria por onde passava. Bonita e sorridente, a jovem mora com a mãe em Taguatinga Sul e estava grávida de 40 semanas quando começou a sentir-se mal. Ela contraiu covid-19, passou por um parto de emergência e sua vida nunca mais foi a mesma. O quadro de saúde da jovem se complicou tanto ao ponto de deixá-la em estado vegetativo.

No dia 4 de abril, Thaynara passou mal em casa e a balconista Maria da Guia Lopes, 49 anos, mãe da jovem, levou a filha ao hospital. Os exames detectaram que os pulmões da moça estavam com 30% de comprometimento.

Diante do quadro, e da gravidez avançada, os médicos do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) fizeram um parto de emergência e Thaynara deu à luz seu filho, Alexandre, no mesmo dia em que deu entrada na unidade de saúde. A criança permaneceu três dias internada antes de ir para casa.

Orgulhosa, a mãe chegou a publicar duas fotos do pequeno nas redes sociais. “Alexandre Luryan, meu pacotão de amor”, diz a legenda de uma das fotos do recém-nascido. O post foi feito no dia 6 de abril.

Porém, após o parto a situação de Thaynara se agravou: o comprometimento dos pulmões evoluiu a 50%. Poucos dias depois, 80%; chegando perto dos 90%. A jovem foi intubada no dia 9 de abril e ficou 23 dias respirando com auxílio de aparelhos. Segundo Maria, os profissionais do HRT chegaram a aconselhar a família a se preparar para o pior.

O quadro da jovem deu indícios de melhora após ela ser submetida a uma traqueostomia e colocar drenos. No entanto, uma série de acontecimentos resultaram em sequelas irreversíveis: Thaynara teve duas paradas cardíacas, embolia pulmonar e trombose.

Após outros exames, os médicos diagnosticaram perda cerebral completa. Thaynara não consegue mais andar, falar ou se alimentar sozinha. A família da jovem, agora, batalha para conseguir adaptar um quarto da casa onde eles moram para trazer o mínimo de condições para a sobrevivência da paciente.

“Ela tem 26 anos e toda vida pela frente, mas está sendo vítima do Covid que deixou todas essas sequelas. Dentro do conhecimento do médico é um caso irreversível. Mas eu continuo crendo que Deus vai levantá-la dessa cama”, disse Maria ao Metrópoles, de dentro do hospital onde está a filha.

Os custos de todos os equipamentos foram avaliados em cerca de R$ 24 mil, incluindo cama elétrica, aspirador, máquina de oxigênio, entre outros itens; além das medicações necessárias.

Enquanto luta para dar uma vida digna à filha, a mãe da jovem desabafa: “Estou com o coração dilacerado. É muito difícil ver ela, uma moça cheia de vida e muito bonita, nesse estado acamado. O que me sustenta é a fé. Também me alivio de saber que ela está viva. Vou cuidar dela com todo carinho”.

A família está organizando uma vaquinha online, na intenção de arrecadar fundos para a aquisição dos equipamentos que trarão esperança e qualidade de vida à Thaynara. Também é possível colaborar via PIX ou transferência, para a conta poupança de Maria da Guia.

“Quero que os jovens se conscientizem que a Covid existe, sim. Minha filha foi vítima. É uma doença devastadora e traz sequelas terríveis. Quem olha o ‘antes e depois’ dela se emociona”, reforça Maria.

Agência Bancária

Maria da Guia L de Souza

Banco: Caixa Econômica Federal

Agência:0647

Conta poupança: 696426-5

PIX: [email protected]

(Metrópoles)

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!