Marabá
32°C
Overcast clouds

MP do Pará denuncia médicos por homicídio culposo de bebê em maternidade

Caso ocorreu em 2020 e bebê teve cabeça arrancada do corpo. Uma acadêmica que estava fazendo residência também foi denunciada
Fachada da Santa Casa de Misericórdia, em Belém | Foto: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Dois médicos obstetras da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará foram denunciados, pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por homicídio culposo majorado, devido à morte de um bebê durante o parto, em 2020. O neném teve a cabeça arrancada do corpo. Uma acadêmica de Medicina, que fazia residência, também foi denunciada. As informações são de O Liberal.

Os médicos são Raimundo de Góes e Castro Neto e Maria Gorete de Menezes Bastos. A acadêmica é Evelyn Mayara Rocha Braga. Na denúncia oferecida pelo MPPA, as condutas de cada um são individualizadas, conforme os relatórios e ofícios do dia 17 de setembro de 2020, data do ocorrido.

Pela denúncia do promotor de Justiça Cezar Augusto dos Santos Motta, Maria Gorete não teria feito a triagem adequada e analisado exames. Raimundo teria autorizado procedimentos de parto normal. A acadêmica foi quem teria executado a manobra de parto que resultou no descolamento da cabeça do bebê.

Raimundo também é denunciado por falsidade ideológica e abuso de poder ou violação de dever inerente à profissão.

À época, o governador Helder Barbalho (MDB) lamentou o ocorrido e determinou o afastamento da equipe médica, além da instauração de um inquérito pela Polícia Civil.

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!