Marabá
24°C
Overcast clouds

Mototaxista é crivado de bala em Marabá

Atentado deixou parentes e amigos abismados.
Mototaxista foi morto a tiros - Crédito: WhatsApp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

No final da noite de ontem (18), por volta de 23 horas, o mototaxista, Alan Souza Paiva, 33 anos, foi alvejado com vários disparos de arma de fogo, no bairro Jardim União, em Marabá, no sudeste do Pará. Dois elementos teriam se aproximado da vítima, em uma moto preta, e efetuado cerca de 10 tiros de pistola 380. Ele ainda teria sido socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas foi a óbito dentro da ambulância.

De acordo com as primeiras informações, Alan Paiva trabalhou um certo período como motorista de táxi por aplicativo, mas teria se envolvido com coisas erradas e o proprietário do veículo teria tomado o carro. Segundo amigos, ele também trabalhava como entregador de pizzas em Marabá. Nenhum parente da vítima se pronunciou a respeito da morte do rapaz.

No entanto, as especulações nas redes sociais mostram duas faces da vida de Alan. A primeira fala que ele era um trabalhador incansável, porém existe outra versão, dando conta de que ele seria membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e responsável em fazer “os corres”. Vários grupos de WhatsApp estão repletos desses informes sobre a vida pregressa do mototaxista.

As narrativas nas redes sociais sobre a possível vida dupla de Alan não foram confirmadas pela polícia. A PM foi acionada para preservação do local de crime. O caso está sendo investigado pelo Departamento de homicídios da 21ª Seccional Urbana. (Portal Debate Carajás)

Alan Paiva morreu dentro da ambulância do Samu – Crédito; WhatsApp

 

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!