Marabá
31°C
Clear sky

Morcegos vampiros são capturados no interior do Pará

Morcegos hematófagos, conhecidos como morcegos vampiros, são capturados em Portel.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

A Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) realizou o serviço de controle da raiva em herbívoros em uma propriedade rural do município de Portel, no arquipélago do Marajó. A ação ocorreu após a constatação de mordeduras por morcegos hematófagos em bois e cavalos do local. O trabalho aconteceu de 20 a 22 de janeiro.

Morcego hematófagos, popularmente conhecidos como “morcegos vampiros”, se alimentam exclusivamente de sangue de vertebrados. Há apenas três espécies no mundo, que ocorrem somente nas Américas. Duas atacam aves (Diphylla ecaudata e Diaemus youngii) e uma ataca aves e mamíferos (Desmodus rotundus), sendo esta última a principal transmissora da raiva em herbívoros na Amazônia.

Em Portel, foram capturados 25 morcegos da espécie Desmodus rotundus. A captura e controle dos morcegos hematófagos são ações previstas pela Instrução Normativa (IN) n° 5, de 1° de março de 2002.

“Após a captura dos morcegos, o produtor foi orientado a providenciar a vacinação contra a raiva e a continuar aplicando a pasta vampiricida em torno dos ferimentos dos bovinos e equinos e, principalmente, a não tentar capturar os morcegos pois quem trabalha neste controle deve estar previamente imunizado”, alertou o fiscal estadual agropecuário, Alexandre Cunha. Além dele, atuou na captura dos animais o técnico Lélio Thomaz.

Doença
A raiva é uma zoonose, ou seja, é transmitida de animais para o homem e tem taxa de mortalidade próxima a 100%. A Adepará, por meio do Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros (PECRH), estabelece o controle da doença, além de desenvolver atividades associadas a outras medidas profiláticas e vigilância.

Nos animais doentes, a raiva apresenta sintomas como: salivação intensa, tremores musculares, incoordenação, ranger de dentes e dificuldade respiratória.

Em caso de suspeita da doença, o produtor rural deve imediatamente notificar a ocorrência no escritório da Adepará mais próximo do município, assim como pode notificar a presença de abrigos de morcegos na propriedade ou nas proximidades.

O morcego vampiro pode provocar zoonoses, em casos de suspeita de doenças, o produtor rural deve imediatamente notificar a Adepará.

Fonte: Agência Pará

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!