As obras
do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, entre os
municípios de Salgueiro (PE) e Jati (CE), estarão concluídas até o fim deste
ano. O trecho é responsável por dar funcionalidade ao empreendimento ao conduzir
as águas do ‘Velho Chico’ rumo aos estados do Ceará, Paraíba e Rio Grande do
Norte. Nesta terça-feira (20), o Ministro da Integração Nacional, Pádua
Andrade
, vistoriou estruturas do Projeto, reuniu-se com equipes técnicas em
campo e confirmou o cronograma. 
 
“Estamos
com 97% de execução física nesse trecho, restando apenas detalhes para a
entrega. Todas as grandes estruturas para condução da água aos estados
beneficiados estão prontas – estações elevatórias, túneis e aquedutos, dentre
outras”, enfatizou o ministro, acrescentando que os serviços remanescentes
contam com turnos 24 horas para garantir o cronograma de entrega até o final do
ano.
 
Parte da
vistoria foi acompanhada pelo governador do Ceará, Camilo Santana, e pelo
senador Eunício Oliveira. “Esta é a maior obra hídrica do Brasil. Não tenho
dúvida de que vai mudar o perfil econômico do Ceará e da região Nordeste”,
comentou o governador ao agradecer o empenho do ministro e das equipes
envolvidas no Projeto.
 
Já o
presidente do Senado destacou os esforços, também, para a conclusão do Cinturão
das Águas do Ceará (CAC), empreendimento que levará a água do Eixo Norte a
aproximadamente 4,5 milhões de habitantes na Região Metropolitana de Fortaleza. 
O Eixo
Leste da Integração do Rio São Francisco, inaugurado em março de 2017, vem
desde então garantindo o abastecimento de água a um milhão de pessoas em 35
municípios nos estados de Pernambuco e da Paraíba.
 
Mais ações
Durante a
agenda de trabalho no sertão pernambucano, o ministro Pádua Andrade também entregou
mais de 100 unidades habitacionais a famílias que vivem em comunidades rurais
na faixa das obras. Já em Jati, no Ceará, o reservatório do Projeto São
Francisco que até então levava o mesmo nome do município foi renomeado. Agora,
chama-se Reservatório Engenheiro Hilton Temóteo de Melo Filho, em homenagem a
um servidor do Ministério que acompanha a obra desde o início.
Fonte: Assessoria de Comunicação/MIN