Marabá
26°C
Scattered clouds

Ministro força retomada de aulas presenciais sem mencionar vacinação atrasada de professores

Maioria dos educadores não recebeu a imunização completa contra a covid-19 em todo o Brasil.
Crédito: Reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, a exemplo de seu chefe Jair Bolsonaro, defendeu nesta terça-feira (20), em pronunciamento o retorno às aulas presenciais em todo o país, porém, em nenhum momento, desde que assumiu o cargo em 16/07/2020, o ministro conservador fez uma defesa pública sobre a antecipação da vacinação de professores no Brasil.

“Quero neste momento conclamá-los ao retorno às aulas presenciais. O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas gerando impacto negativo nestas e nas futuras gerações”, disse. Milton Ribeiro deveria, há muito tempo, buscar saídas para acelerar a vacinação dos educadores como ocorreu no plano nacional de vacinação dos países citados por ele.

O protocolos de biossegurança visando a reduzir riscos de contágio no ambiente escolar se baseia fundamentalmente em distanciamento, uso de máscaras e uso de álcool em gel, coisas que estão longe de ser uma realidade na maioria das escolas do país. Na maioria delas, os banheiros estão caindo aos pedaços e sem água.

Como medidas de segurança, na entrada das unidades de ensino, foral instaladas 4 pias mequetrefes, muitas delas sem água, para higienização das mãos. Uma simples enquete mostra que existe uma resistência enorme entre pais, alunos e professores para retomada das aulas presenciais sem a vacinação completa por medo da covid-19.

No Pará, sobretudo nas escolas do interior, um protocolo estrutural e sanitário está longe de acontecer. Os prédios escolares sem encontram em situação de penúria, pois muitos estão caindo aos pedaços. Para piorar a situação, a maioria dos educadores não recebeu a 2ª dose da vacina e os mais jovens não foram vacinados nem com a 1ª dose do imunizante.

Milton Ribeiro, a exemplo de seu chefe avesso à educação, não moveu uma palha para encorajar a vacinação dos educadores. Ao contrário, o pastor evangélico, ainda aconselhou Bolsonaro a vetar a lei aprovada pelo Congresso, obrigando o país a colocar internet em todas as escolas públicas do Brasil. O ditado popular “Quem tem um ministro desse como amigo, não precisa de inimigo” representa muito bem o que pensa esse sujeito a respeito da educação. (Pedro Souza/Portal Debate Carajás)

Ver a imagem de origem
Ministro Milton Ribeiro – Crédito: Reprodução

Cadastre-se e receba notificações de novas postagens!