O Ministério da Educação (MEC) 
autorizou a transferência de recursos para estados implementarem a educação em
tempo integral no ensino médio. Ao todo, serão liberados R$ 99 milhões
distribuídos entre todos os estados e o Distrito Federal, com exceção do Mato
Grosso.
A
liberação foi feita, no âmbito do Programa de Fomento às Escolas de Ensino
Médio em Tempo Integral, para complementar o pagamento da primeira parcela de
recursos correspondentes ao ano de 2019 . Os estados precisaram encaminhar
planos de trabalho e a indicar escolas onde o ensino em tempo integral será
implementado. 

O
dinheiro do programa pode ser usado, entre outras coisas, para remuneração e
aperfeiçoamento de professores e dos demais profissionais da educação; para
aquisição, manutenção, construção e conservação de instalações e equipamentos
necessários ao ensino; aquisição de material didático-escolar e manutenção de
programas de transporte escolar. 
Tempo Integral
O
programa busca viabilizar uma das ações previstas no novo ensino médio, aprovado
em lei em 2017, de ampliar a educação em tempo integral. Os estudantes passam a
participar de atividades na escola 7h por dia e não mais 5h ou 4h, como ocorre
atualmente na maioria das escolas. 
A
proposta é seguir iniciativas bem-sucedidas de implantação do ensino integral
em alguns estados, como Pernambuco, e atender aos objetivos do Plano Nacional
de Educação (PNE).
Uma
das metas do PNE é oferecer educação em tempo integral em, no mínimo, 50% das
escolas públicas, de forma a atender, pelo menos, 25% dos alunos da educação
básica até 2024. Atualmente, a educação tem tempo integral chega a 40,1% das
escolas públicas e atende a 15,5% das matrículas. Considerando apenas o ensino
médio, a porcentagem é menor, 17,4% das escolas oferecem educação em tempo integral.
Fonte: Agência Brasil